<
>

Henderson organiza reunião de emergência com capitães dos clubes da Premier League para dar resposta à Superliga, diz jornal

play
Superliga: saiba o que é e entenda a 'guerra' que tomou conta dos bastidores do futebol europeu (1:31)

O novo torneio recebeu, antes mesmo da confirmação, uma resposta dura da Uefa, em parceria com Premier League, LaLiga e Serie A, que, na véspera do anúncio de novidades na Champions, ameaçou clubes e até jogadores que fizerem parte da iniciativa. (1:31)

Depois de muitas personalidades do esporte cobrarem explicações dos cartolas sobre a criação da Superliga, novo torneio que irá reunir 12 dos clubes mais ricos da Europa, foi a vez de Jordan Henderson, capitão do Liverpool, encabeçar uma resposta dentro da Premier League.

De acordo com o jornal Daily Mail, o jogador dos Reds organizou uma reunião de emergência junto com os outros 19 jogadores que detêm as braçadeiras de seus clubes para se posicionarem em relação à realização do novo torneio.

Os atletas da principal divisão inglesa, de acordo com o veículo britânico, estão preocupados com o futuro, visto que a nova competição ameaça a atual ordem estabelecida no futebol europeu.

Antes de Henderson, Jürgen Klopp e James Milner já haviam se mostrado contra a criação e realização da Superliga.

O treinador alemão e o elenco da equipe de Anfield foram pegos de surpesa no último domingo, quando o Liverpool, a partir do Fenway Sports Group, propietário do clube, emitiu o comunicado confirmando presença no torneio como um dos fundadores.

A competição, já discutida há algum tempo, ainda não tem uma data confirmada. São 12 os clubes fundadores: os seis principais times da Inglaterra (Arsenal, Chelsea, Liverpool, Manchester United, Manchester City e Tottenham), os três gigantes da Espanha (Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid) e mais o trio dos chamados grandes da Itália (Milan, Inter de Milão e Juventus).

A competição vai contra o que gostariam as ligas locais, a Uefa e a Fifa. A entidade europeia, por sinal, já anunciou que quem participar da Superliga "pode ser banido de todas as competições europeias ou internacionais". E isso vale para clubes e também jogadores.