<
>

Conmebol divulga áudios do VAR e explica pênaltis não dados ao Palmeiras e 'festival de expulsões'

play
Facincani detona atuação 'cretina e ridícula' do Palmeiras contra o Defensa e cobra mudança de postura (2:12)

No BB Debate, Felippe Facincani ainda afirmou que Abel Ferreira precisa começar a repensar algumas coisas (2:12)

O Palmeiras saiu do Mané Garrincha na bronca com a arbitragem do uruguaio Leodan González na derrota para o Defensa y Justicia, na Recopa Sul-Americana. Na partida, dois pênaltis reclamados pelo Alviverde e a expulsão de Viña, que foram checados pela arbitragem de vídeo.

Nesta quinta-feira (15), a Conmebol divulgou os áudios da cabine do VAR de todos os lances que foram revisados, como os dois pênaltis reclamados e as duas expulsões.

No possível pênalti em Wesley, aos 28 minutos da primeira etapa, a cabine considerou que o atacante do Palmeiras caiu antes de ocorrer um contato normal de partida e nada foi assinalado por esse motivo.

O lance seguinte foi a expulsão de Matías Viña, aos 20 minutos da segunda etapa. A cabine do VAR apontou para uma falta no lateral uruguaio, mas considerou que houve excesso de força na reação do camisa 17 com Frías e, por isso, recomendou a revisão de Leodan, que viu, em quatro ângulos, o lance e decidiu dar o cartão.

Outro lance que gerou polêmica foi a expulsão de Braian Romero no início da prorrogação. Neste caso, a cabine de VAR auxiliou o árbitro de campo a expulsar pessoas do banco de reserva do Palmeiras. O atacante do clube argentino foi punido por ter iniciado a confusão, segundo Leodan.

Por fim, o VAR também considerou que pudesse ter sido cometido um pênalti no rebote da cobrança de Gustavo Gómez, na prorrogação, mas, após rápida checagem, nada foi visto.