<
>

Lugano vê Fluminense no 'grupo da morte' e elege os três melhores da Libertadores sem o São Paulo

Em live no canal de YouTube da ESPN Brasil, o comentarista Diego Lugano analisou o sorteio dos grupos da Conmebol Libertadores 2021, realizado nesta sexta-feira, no Paraguai.

Na opinião do ex-jogador, o Fluminense foi quem deu o maior azar, caindo em uma chave com River Plate-ARG, Independiente Santa Fe-COL e quem passar do confronto entre Bolívar-BOL e Junior Barranquilla-COL.

Ao falar sobre o grupo D, o uruguaio ainda elegeu seu grandes favoritos ao título da Libertadores, deixando de fora o São Paulo, time que defendeu por muitos anos e do qual é ídolo.

"É um grupo duríssimo (o D). Com certeza, é o grupo mais difícil que um time brasileiro caiu", afirmou Lugano.

"Isso porque o River Plate, juntamente com Flamengo e Palmeiras, são os grandes favoritos ao título. Se mantiver o time e mantiver o (técnico Marcelo) Gallardo, o River é grande favorito", apontou.

Questionado pelo apresentador André Plihal sobre quem preferia enfrentar entre Bolívar e Junior, Lugano viu ambos como complicados.

"Jogar em Barranquilla é complicado, pois é muito úmido, similar a Manaus. Além disso, o Junior é superior geneticamente, pois os jogadores colombianos são mais rápidos e potentes (que os bolivianos). É um clube que tem jogadores de nível de seleção, e não é fácil jogar em Barranquilla", salientou.

"Já o Bolívar é o maior time da Bolívia. Agora, tem uma parceria com o City Football Group [que gerencia o Manchester City], então talvez a gente veja um 'outro Bolívar', com jogadores melhores. E é uma equipe que conta sempre com a altitude de La Paz. Independentemente de quem passar, é um grupo muito difícil para o Fluminense", completou.

O comentarista também considerou que o grupo do São Paulo é razoavelmente tranquilo, principalmente pelas viagens fáceis, com voos diretos.

"O São Paulo pegou uma chave relativamente acessível. A logística de viagens é boa: ir a Buenos Aires, Montevidéu e Lima, todos com voos diretos. E isso é muito importante para os times brasileiros, que têm um calendário muito difícil", observou.

"Obviamente, o Racing será o principal rival, pois é um time grande, de tradição. Enfrentar argentinos é sempre complicado. O Sporting Cristal é grande no Peru, mas não tem condições de enfrentar o São Paulo. E o Rentistas é uma equipe que tradicionalmente sempre jogou 2ª divisão no Uruguai, mas subiu recentemente depois que foi assumido por uma empresa", destacou.

"Ano passado, o Rentistas fez uma campanha incrível no Apertura do Uruguai, foi campeão, uma surpresa total. Mas o lado ruim de ser um time empresa: depois do título, vendeu 90% dos jogadores para mercado sul-americanoe e europeu. Aí, no Clausura, foi o último colocado", finalizou.