<
>

Clube europeu e jogadores não utilizarão redes sociais em forma de protesto contra ataques no mundo digital

play
O que você faria se encontrasse seu ídolo? Esse garotinho teve a melhor reação de todas! (0:09)

O pequeno torcedor do Swansea City se espantou ao ver Wayne Rooney bem ao seu lado (0:09)

A diretoria do Swansea City determinou que o departamento de comunicação do clube e todos os seus jogadores não utilizarão as redes sociais por uma semana. O clube galês entende que é uma forma de pressionar as plataformas responsáveis por essas mídias a tomarem medidas contra mensagens ou conteúdos ofensivos, preconceituosos e que contenham injúrias raciais.

Nada será postado a partir desta quinta-feira em Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn, Snapchat, YouTube ou TikTok. O clube galês, que joga a segunda divisão inglesa, fará todos os comunicados por meio de seu site oficial.

O protesto foi motivado após Jamal Lowe tornar-se o terceiro jogador do Swansea em menos de dois meses a sofrer injúrias raciais no Instagram.

“Vimos vários de nossos jogadores serem submetidos a abusos abomináveis ​​apenas nas últimas sete semanas e sentimos que é certo tomar uma posição contra o comportamento que é uma praga em nosso esporte e na sociedade em geral", disse o clube.

“Também queremos estar ao lado de jogadores de outros clubes que sofreram discriminação vil nas plataformas de mídia social. Esperamos que nossa postura firme destaque os efeitos mais amplos do abuso”, prosseguiu o Swansea.

O clube galês disse estar “perfeitamente ciente de como a mídia social pode afetar a saúde mental dos jogadores e da equipe” e o capitão do time, Matt Grimes, disse que o número de abusos não deve ser subestimado.