<
>

Palmeiras: Abel Ferreira faz autocrítica sobre demora para substituir na Recopa

Após a vitória por 2 a 1 sobre o Defensa y Justicia, pela ida da Recopa Sul-Americana, o técnico do Palmeiras, Abel Ferreira, admitiu que demorou para mexer no time no 2º tempo.

Fazendo uma autocrítica à sua própria atuação nesta quarta-feira, o treinador português reconheceu que deveria ter sacado Felipe Melo e Zé Rafael antes do Defensa empatar o jogo.

"Também cometo erros. Deveria ter feito as substituições mais cedo. O Felipe Melo estava fazendo seu 1º jogo (na temporada), o Zé Rafael vinha de recuperação, assim como o Raphael Veiga... Portanto, fazendo uam análise crítica e fria de mim mesmo, talvez eu devesse ter mexido na equipe cinco ou 10 minutos mais cedo", afirmou.

"O que é certo é que quem entrou ingressou muito bem. A maior alegria que um jogador pode dar ao seu treinador é dar seu melhor quanto entra até não poder mais. Foi isso que os que começaram o jogo fizeram, e depois os que entraram. Parabéns aos que entraram", exaltou.

"O Palmeiras é isso. Estamos aqui para ajudar uns aos outros. Foi essa força que nos trouxe até aqui. Da mesma forma que nos juntamos para treinar no dia 2, jogamos contra uma equipe que ganhou a Copa Sul-Americana, competitiva, agressiva, com bom jogos e que está jogando há dois meses. Temos que reconhecer o mérito do Palmeiras, pois futebol é isso: às vezes é jogar bem, romântico, mas quando for possível jogar para ganhar", completou.

Questionado sobre o gol do Defensa y Justicia que foi anulado de forma polêmica, aos 36 do 2º tempo, Abel considerou acertada a decisão da arbitragem.

"Vou ser sincero com vocês: eu não vi o lance ainda. Mas acredito que um árbitro dessa nível, e com ajuda do VAR ainda, não dá para ter dúvidas. Com a tecnologia que temos e um árbitro dessa categoria, acho que foi bem anulado", salientou.

Sobre a maratona de jogos decisivos, que terá um confronto contra o Flamengo já neste domingo, às 11h (de Brasília), pela Supercopa do Brasil, o técnico palestrino evitou reclamar do calendário e fez uma brincadeira um tanto irônica.

"Façam o que quiserem... Marquem jogos quando quiserem. Não queremos saber, só queremos jogar. Se acham melhor ter a Recopa com uma Supercopa no meio, não há problema... Estamos aqui para jogar e para ganhar. Descansar a gente descansa quando formos mais velhos", disparou.

Perguntado se ainda espera reforços, já que teve que usar Rony improvisado nesta quarta-feira por não ter Luiz Adriano (testou positivo para COVID-19), Abel Ferreira lembrou que pediu nomes para o ataque, mas garantiu que, se não receber ninguém, trabalhará com o que tem em mãos.

"Eu sou muito claro naquilo que digo e faço. Fui muito claro em relação a isso. Não vou mais tocar nessa tecla, pois minha função é olhar para os jogadores que tenho disponíveis. Hoje, são esse que tenho aqui. E conseguimos ganhar, com ou sem Luiz Adriano, que é um jogador que contamos", disse.

"O Rony teve que ser uma alternativa mais à frente no ataque, e é por isso que eu gostaria de ter outro ponta esquerda. Já falei outras vezes também que precisa de um outro centroavante. Mas não quero jogadores só para fazer número. É com esses guerreiros que conto hoje", finalizou.