<
>

Rogério Ceni de volta ao São Paulo? Presidente comenta e diz se ficou chateado com ídolo no Flamengo

Rogério Ceni não veste a camisa do São Paulo desde meados de 2017, quando foi demitido do cargo de técnico, mas ainda é assunto no Morumbi.

Em entrevista ao canal de Youtube "Arnaldo e Tironi", dos jornalistas Arnaldo Ribeiro e Eduardo Tironi, o presidente Julio Casares respondeu se tinha um pré-acordo com o ídolo para assumir o Tricolor em 2021, caso vencesse a eleição, como de fato aconteceu.

O cartola admitiu que teve conversas com Ceni durante o processo eleitoral, mas nunca oficializou nenhum convite, até porque o São Paulo vivia uma fase positiva sob a direção de Fernando Diniz. Mas, antes do pleito, o ex-goleiro acabou contratado pelo Flamengo.

"Não houve nada. Estive algumas vezes conversando com o [Miguel Ángel] Ramírez sobre futebol. O Rogério é um amigo pessoal e nós conversamos várias vezes sobre futebol. Nunca fizemos uma colocação oficial. Vamos imaginar que o Crespo queira treinar a seleção da Argentina, aí o Rogério sempre será uma pauta. É normal", afirmou.

"Ele teve uma passagem como jogador e ídolo, mas é profissional. Não tinha nenhum compromisso, até me ligou para dizer [que iria para o Flamengo]. É uma pessoa que gosto muito. O Rogério seguiu seu caminho", completou Casares.

Mas rolou algum tipo de mágoa ao ver um dos maiores jogadores da história são-paulina aceitar o convite de outro grande clube do país? Casares garante que não e diz que até o cumprimentou no último jogo entre os times, que, apesar da vitória tricolor, deu o título brasileiro ao Flamengo.

"Não fiquei chateado, porque estávamos em um processo que o Diniz vinha pontuando. Estávamos liderando o campeonato, não dá nem para pensar. Quando a gente admira uma pessoa, a gente quer o melhor para ela. Vida que segue. Não fiquei chateado, não. Dei os parabéns pelo título brasileiro, é um grande profissional".