<
>

Mourinho corre risco de demissão e multa reduzida se não levar Tottenham à vaga na Europa, diz jornal

O desempenho irregular do Tottenham na temporada pode resultar em muito mais do que críticas a José Mourinho, que enfrenta cada vez mais vozes contrárias a seu trabalho no norte de Londres.

Isso porque, se não conseguir levar o clube a uma competição europeia na próxima temporada, o português corre o risco de ser demitido e receber muito menos do que ganharia pelo distrato.

Mourinho tem contrato com o Tottenham até junho de 2023, com uma cláusula de demissão combinada em 30 milhões de libras esterlinas, o equivalente a R$ 236 milhões na cotação monetária atual. Seu salário é na faixa de 15 milhões de libras (R$ 118 milhões) por temporada.

Mas o valor deve sofrer uma drástica redução caso os Spurs não se classifiquem, no mínimo, para a disputa da Europa League da próxima temporada.

O foco do Tottenham é voltar à Uefa Champions League, torneio em que foi vice-campeão na temporada 2018-19 e que ficou fora na atual. Na Europa League, o clube foi eliminado de forma surpreendente para o Dinamo Zagreb, da Croácia.

Para disputar novamente a competição, o time londrino depende da Premier League, onde está em sexto lugar, com 49 pontos. Quem fecha o G-4 é o West Ham, com 52. Ainda estão na disputa equipes como Chelsea, Liverpool e Everton.

Além disso, o Tottenham tem pela frente a final da Copa da Liga Inglesa, no fim de abril, contra o Manchester City. É a chance de ganhar o primeiro troféu desde 2008, em outro jogo que pode contar para o futuro do Special One.