<
>

São Paulo dá ida de Tchê Tchê ao Atlético-MG como certa; negócio aliviaria folha e tem meta simples

O São Paulo já dá como praticamente certa a ida de Tchê Tchê para o Atlético-MG, que agiu para ter o meio-campista após um pedido do técnico Cuca.

E segundo apurou a ESPN Brasil, a negociação é vista como bom negócio no time paulista por uma série de motivos, entre eles o financeiro.

Primeiro, porque o Atlético-MG vai assumir o pagamento integral dos vencimentos do jogador, que entre valores fixos e variáveis pesam bastante no custo mensal do clube.

Segundo, porque reduzir a folha salarial é justamente um dos objetivos da gestão atual, que assumiu em janeiro de 2021 sob o comando do novo presidente, Julio Casares.

E terceiro, porque o acordo prevê, conforme soube a reportagem, uma “meta bem fácil de ser cumprida” pelo atleta que, alcançada, ainda renderá uma determinada quantia aos cofres do São Paulo. Tanto a meta como o valor não foram revelados.

Para ter Tchê Tchê por empréstimo, o Atlético-MG não desembolsará nada. No entanto, o jogador de 28 anos vai com um valor já fixado para o caso de sua aquisição definitiva ao fim do prazo de cessão.

Na atual temporada, o meio-campista, que alternou entre a reserva e a titularidade com Fernando Diniz no ciclo passado, foi utilizado pelo técnico Hernán Crespo em três dos quatro jogos do Campeonato Paulista, em todos vindo da reserva – só não atuou diante da Inter de Limeira, na segunda rodada.

No entanto, o argentino avalia que Tchê Tchê não tem o perfil "faca nos dentes" que ele deseja de seus jogadores e por isto não fez qualquer objeção a sua liberação.