<
>

'Novela Ademir': Palmeiras não subirá oferta e vê negociação como 'jogo de paciência'; veja os detalhes da operação

play
Felipe Melo: 'Não estou conversando com ninguém e jamais faria sem antes escutar o clube que eu amo que é o Palmeiras' (1:34)

Boca Juniors? O jogador palmeirense negou que esteja negociando com o clube argentino e disse que no momento está focado na Recopa e na Supercopa do Brasil (1:34)

A negociação envovlendo Palmeiras e América-MG segue em curso, mas em 'modo espera'. O ESPN.com.br apurou os detalhes da operação com fontes ligadas ao clube paulista, que confirmou a oferta realizada pelo atacante. Porém, o Alviverde descarta por completo um aumento na proposta.

A diretoria do Palmeiras entende que trabalha no limite do que pode ser gasto neste período de pandemia da COVID-19. Além disso, o vínculo de Ademir com o América-MG tem duração até o final de 2021. Com isso, o atacante ficaria livre para assinar um pré-contrato no meio do ano, podendo sair de graça do Coelho.

Por conta desse 'favorecimento' de contrato, o Palmeiras enxerga que a decisão do negócio está nas mãos do América-MG, que terá que decidir se aceita ou não a proposta do time paulista. O jogador quer vestir a camisa do Verdão, mas fica neste momento a mercê da direção mineira.

O ESPN.com.br acompanha de perto a negociação envolvendo os dois clubes. A chegada de um atacante canhoto de velocidade pelos lados do campo é um pedido do técnico Abel Ferreira à direção.

Porém, a direção do Palmeiras trabalha com uma austeridade financeira rígida. O grande objetivo do clube é honrar os compromissos de salário e direitos de imagem ao invés de ir ao mercado e apostar em novas peças. Para o time paulista, a manutenção do elenco campeão paulista, da Conmebol Libertadores e da Copa do Brasil é o fundamental no momento.

O Palmeiras trabalha com as contas apertadas também por conta do período de incerteza que vivem os times de futebol. Com o calendário ja em atraso e a possibilidade grande de passar mais um ano sem renda de bilheteria, o Verdão tenta deixar 'a casa em ordem' para não ter aperto financeiro nos próximos anos.