<
>

Palmeiras: Luxemburgo revela bastidores de reunião decisiva, pedidos especiais e mágoa com presidente do clube

Comandante do Palmeiras no início da temporada e à beira do campo na conquista do Paulistão, Vanderlei Luxemburgo parabenizou as conquistas de Abel Ferreira com o Verdão e revelou sentir mágoa de Galiotte pela forma como saiu do cargo no meio da temporada.

O Palmeiras conseguiu fazer história em 2020 e no último final de semana conquistou o terceiro título da temporada. Em entrevista à Rádio Bandeirantes, Luxemburgo se manifestou sobre o trabalho e disse ficar feliz por ter participado do projeto.

“Quero mandar um abraço ao Abel pela conquista da Libertadores e da Copa do Brasil… Fico feliz porque de alguma maneira pude participar do início do trabalho, daquilo que foi oferecido para eu fazer, que era fazer uma mudança do ano anterior para 2020″, comentou.

“Era para fazermos a troca de alguns jogadores, diminuindo a folha de pagamentos e trabalhando com a base, porque o clube estava com caixa em dificuldades em função de investimentos feitos anteriormente”, disse Luxa.

O ex-treinador do Verdão destacou o projeto realizado no início da temporada – em subir jogadores da base e dar espaço no profissional – grande trunfo alviverde na temporada. Além da conquista do Paulistão.

“Não acho que eu tenha dado errado. Acho que dei certo no Palmeiras, que não conquistava um título do Paulista há muito tempo. E o clube nunca tinha tantos jogadores da base de uma vez só no profissional”.

Mágoa de Maurício Galiotte

Por último, Luxa revelou ainda sentir mágoa do presidente Maurício Galiotte pela forma como deixou o clube: “Essa é uma das mágoas que tenho do presidente do Palmeiras. Eu soube que na reunião foram favoráveis à minha permanência todas as pessoas que estavam lá, mas foi diretamente do presidente a decisão da minha saída”.

“Mas quem garante que se eu continuasse poderia acontecer a mesma coisa ou não? O presidente, de repente, não acreditou que eu pudesse levar o time mais adiante. É um direito que ele tem de fazer isso, pois é o presidente do clube”, concluiu Luxemburgo.