<
>

Kroos diz que foi chamado de nazista por crítica feita a Ozil e ataca 'fakes': 'Qualquer um faz insulto sem impedimento'

Um dos principais jogadores do futebol alemão, Toni Kroos fez parte da seleção campeã do mundo em 2014 no Brasil. Só que o jogador passou por um momento turbulento quatro anos depois.

Tudo aconteceu por conta de Mesut Ozil. O meio-campista postou uma foto ao lado de Recep Tayyip Erdogan, presidente da Turquia. Na época, a imagem trouxe bastante repercussão. Ozil reclamou de racismo e falta de respeito, algo que foi repudiado por Kroos.

Em entrevista na época, o jogador do Real Madrid afirmou que não existia essa divisão na seleção. Nesta sexta-feira (5), ele participou de uma live com Frank-Walter Steinmeier, Presidente da República Federal da Alemanha, e disse que foi chamado de nazista ao criticar o companheiro.

“Depois da Copa do Mundo de 2018, eu disse que não gostava da forma como Mesut Ozil se demitiu da seleção nacional e, então, eu era um nazista direto para algumas pessoas. Loiro, olhos azuis, tudo cabe para muita gente”, disse Kroos, falando sobre as críticas sofridas nas redes sociais e atacando os 'fakes'.

“Hoje em dia, qualquer um pode se esconder atrás de um perfil falso para insultar estranhos sem qualquer impedimento”, finalizou.

Recentemente, Ozil deu uma entrevista para a AFP e voltou a falar sobre a seleção. Desejou sucesso, mas garantiu que não veste mais a camisa da Alemanha.

“Quando pego uma estrada, não dou meia volta. Desejo sucesso à seleção alemã, mas nunca mais”, disse Ozil.