<
>

Clima de guerra, Dortmund 'c*** nas calças' e virada épica: como foi o primeiro Klopp x Tuchel em Anfield

Jürgen Klopp e Thomas Tuchel se enfrentarão em Anfield nesta quinta-feira (4), à frente, respectivamente, de Liverpool e Chelsea, com transmissão ao vivo e exclusiva da ESPN Brasil e do ESPN App a partir de 17h (de Brasília).

Não será o primeiro duelo entre os dois alemães no lendário estádio inglês. O primeiro, aliás, foi marcado por uma virada épica dos Reds, inspirados por Klopp contra seu ex-clube, o Borussia Dortmund.

Nas quartas de final da Europa League da temporada 2015-16, o Liverpool conseguiu uma virada nos acréscimos por 4 a 3 para eliminar o time aurinegro comandado por Thomas Tuchel.

Após empate por 1 a 1 na Alemanha, o Dortmund foi com tudo para cima do Liverpool e vencia os donos da casa por 3 a 1 até 24 minutos do fim, gols de Mikhitaryan, Aubameyang e Reus (Origi descontou). Até que os ingleses reagiram e foram buscar a vitória, com tentos de Philippe Coutinho, Sakho e Dejan Lovren, este já nos acréscimos.

Era o primeiro confronto de Klopp contra seu ex-clube, o que causou uma ‘preparação especial’ desde o princípio. Na biografia do treinador alemão, escrita por Raphael Honigstein e traduzida no Brasil pela editora Grande Área, o diretor executivo do Dortmund, Hans-Joachim Watzke, revelou que teve que conversar com seu elenco por conta da relação construída com o comandante.

“Ele quer acabar com nosso time e nossa torcida com sua amabilidade. Mas não estamos enfrentando nosso amigo Kloppo. Não podemos perder nossa agressividade”, disse o dirigente, ressaltando que não disse nada desrespeitoso, mas que tinha que alertar sobre a chance do ex-aliado crescer nesses cenários.

Na virada em Anfield, quando o confronto parecia definido no segundo tempo, Klopp foi preponderante ao conseguir incitar o estádio a se tornar um 12° jogador, segundo foi relatado pelo jornal Die Welt após a partida. Um ambiente que, como disse Hummels, deixou o Dortmund ‘cagando nas calças’.

“O treinador alemão saiu do estádio como um gladiador deixando o Coliseu depois de ter trucidado uma fera descomunal”, escreveu o diário Independent, no dia seguinte à partida em Anfield.

Na coletiva depois da eliminação, Thomas Tuchel parecia desconsolado, sem acreditar que tinha sido derrotado. “Não tenho o que explicar, porque não há explicação lógica. As emoções prevaleceram”, afirmou.

A partida, porém, causou uma marca na amizade entre Klopp e Watzke, como o mesmo contou no livro, mesmo que por pouco tempo, tanto pelas falas do dirigente ao time aurinegro antes do duelo, como pela reação efusiva do treinador na beira do gramado.

“Foi uma das piores derrotas em meus doze anos de Dortmund. Não por causa de Jürgen, no fim, acabei ficando feliz por ele. Não. Estávamos muito perto da conquista de um título internacional. Acho que teríamos conquistado o título. Fomos eliminados em Liverpool, mas, na verdade, já havíamos perdido o confronto na partida de Dortmund”, apontou.

Além dos dois duelos em 2016, Klopp e Tuchel se enfrentaram na Uefa Champions League 2018/19, na fase de grupos, quando o segundo passou a treinar o PSG com uma vitória para cada lado. Agora, iniciam um novo capítulo na rivalidade, pela Premier League.