<
>

Felipe Melo diz que não há espaço para 'desestabilização' e vê Palmeiras deixando Mundial de 'cabeça erguida': 'Jogamos contra um time que deu trabalho ao Bayern'

Após a derrota nos pênaltis do Palmeiras para o Al-Ahly, nesta quinta-feira, pela decisão de 3º lugar do Mundial de Clubes, o meia Felipe Melo falou sobre o revés.

Em entrevista ao Sportv após a partida, o experiente jogador, que errou o pênalti decisivo, afirmou que não há espaço para a equipe de Abel Ferreira se desestabilizar por conta do resultado, viu uma melhora em relação ao primeiro jogo e destacou que o que foi feito em campo é o que é realizado nos treinamentos.

"Nada de desestabilização. A gente errou, teve uma margem de melhora do primeiro jogo. Fizemos aquilo que fizemos no treinamento, mas a equipe deles foi mais capacitada. É de ressaltar que fizemos aquilo que treinamos, infelizmente perdemos. Agora é focar na final que temos no Brasil, muita coisa boa esse ano. A gente deixa esse Mundial de cabeça erguida por ter feito nosso melhor", começou por afirmar.

"Eu acho que nós tivemos uma margem de melhora do primeiro jogo. Jogamos contra duas escolas de futebol diferentes. A escola mexicana contra um time que tem um treinador há dez anos. Jogamos contra um time que de certa forma deu trabalho ao Bayern de Munique. Voltamos a não tomar gol em decisão de campeonato. Mas falhamos na hora dos pênaltis, isso foi crucial para eles vencerem. Mas saímos de cabeça erguida", diz o volante palmeirense", finalizou.

A derrota marcou a pior participação de um clube brasileiro no Mundial de Clubes. Anteriormente, todos os clubes campeões da Conmebol Libertadores conseguiram, ao menos, a medalha de bronze.

Agora, o Palmeiras retorna ao Brasil para disputar a reta final do Campeonato Brasileiro e a final da Copa do Brasil, contra o Grêmio.

Pela participação no torneio da Fifa, o Alviverde leva um prêmio de US$ 2 milhões (R$ 10,8 milhões).