<
>

Chelsea: Demissão de Lampard incluiu mensagem a jogadores, frustração e conversa de Tuchel com Thiago Silva

O Chelsea comunicou a demissão do técnico Frank Lampard nesta segunda-feira (25), com um sucessor pronto para ser contratado, segundo conta a ESPN britânica. Antes da demissão do ídolo, porém, alguns bastidores movimentaram o clube.

Antes mesmo de demitir o treinador, a diretoria dos Blues já estava a procura de um potencial substituto e foi atrás do ex-comandante do RB Leipzig Ralf Rangnick para saber sobre sua disponibilidade para assumir interinamente o time até o fim da temporada, mas o convite foi recusado.

Logo depois, o atual treinador dos Rotten Bullen foi consultado. Julian Nagelsmann, porém, confirmou que não deixaria o time no meio da temporada e causou nova frustração aos Blues.

O nome da vez, e provável substituto, se tornou Thomas Tuchel, que deixou o comando do PSG no final de dezembro e tinha uma ideia de não assumir nenhuma equipe até o fim da atual temporada.

Uma conversa com a diretora esportiva do clube londrino, Marina Granovskaia, e seu agente, Pini Zahavi, o alemão se convenceu que seria uma boa oportunidade para sua carreira. A decisão final ainda veio depois de conversas com o compatriota Antonio Rudiger e seu antigo capitão no PSG Thiago Silva.

A ideia de Thomas Tuchel é, assim como fez quando foi contratado pelo Paris Saint-Germain, levar consigo boa parte de sua comissão técnica, como uma forma de ter pessoas de confiança ao seu lado. Além das negociações prévias com outros nomes, a manhã de segunda-feira foi agitada, também, para o elenco.

Com programação preparada para ter uma sessão de treinamentos, os jogadores foram informados do cancelamento da mesma por conta do anúncio que ocorreria horas depois.

Contratado em julho de 2019 para substituir Maurizio Sarri, Frank Lampard conseguiu classificar o Chelsea para a Uefa Champions League, mesmo encarando uma trava na janela de transferências por punição da Fifa e perdendo Eden Hazard para o Real Madrid.

Em sua segunda temporada, depois de um início promissor, em que chegou a liderar a Premier League, o comandante acumulou uma sequência negativa, chegando a ter cinco derrotas em oito jogos do torneio, e a pressão culminou em sua demissão.