<
>

'Fernando Diniz não é um treinador a altura do São Paulo', diz Cicinho no Resenha Digital

play
Cicinho põe queda do São Paulo na conta de Diniz: 'É só aquela saída de jogo que ninguém aguenta mais' (1:39)

Cicinho é o convidado desta sexta-feira no Resenha Digital, que será exibido às 20h (de Brasília) no Facebook da ESPN Brasil e no YouTube do Fox Sports (1:39)

O São Paulo foi goleado pelo Internacional, perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro e acabou deixando alguns ídolos revoltados com as atuações e a queda da equipe na briga pelo título. E um dos mais contundentes nas críticas é Cicinho. O ex-lateral é o convidado desta sexta-feira no Resenha Digital, que será exibido às 20h (de Brasília) no Facebook da ESPN Brasil e no YouTube do Fox Sports. E falou bem forte contra Fernando Diniz.

“Na minha opinião, o Diniz não é um treinador a altura do São Paulo. Ele tem muitas opções de jogo. Pega um exemplo disso: Paulo Autuori quando chegou em 2005 no São Paulo, viu que eu e o Júnior éramos mais fortes ofensivamente que defensivamente e mudou todo trabalho que o Leão vinha fazendo, do sistema 4-4-2. E deu certo. Então, precisa ser isso. Mas no São Paulo não se vê isso. É só aquela saída de jogo que ninguém aguenta mais, até o torcedor adversário está com raiva”, disse Cicinho.

“Eu colocaria (o mau momento) mais na conta do Diniz, porque é óbvio o sistema de jogo, é óbvio que as equipes adversárias já se prepararam para essa saída de jogo do São Paulo. Então, um treinador de um time grande como o São Paulo, ele precisa ter um leque de opções, até porque tem jogadores com condições de fazer isso. Eu não posso assistir a um jogo, ver o São Paulo perdendo de 4, 5, e o treinador colocar o Paulinho Boia de lateral-direito, sendo que é um driblador. Se o time não está conseguindo passar na zaga do adversário, se não está conseguindo com o toque, geralmente o que o treinador tenta na jogada individual, aí você coloca um jogador, atacante, rápido no sistema defensivo. Então são atitudes que, eu estou falando como torcedor, como eu vejo, que não são legais”, analisou.

Diniz enfrenta contestações no São Paulo há tempos e já balançou demais no cargo em outras ocasiões. Na temporada, foram ao menos três momentos em que teve o emprego sob muito risco: eliminação no Campeonato Paulista diante do Mirassol, queda ainda na primeira fase da Libertadores (com derrota para o fraco Binacional na campanha) e eliminação na Sul-Americana frente ao Lanús.

Fernando Diniz, porém, havia conseguido recuperar o time de maneira inacreditável e chegou a abrir 7 pontos na liderança, com direito a futebol de altíssimo nível e dominação diante dos adversários.

Só que o jogo virou mais uma vez. O São Paulo foi eliminado pelo Grêmio na semifinal da Copa do Brasil no último jogo do ano e ainda não venceu no ano: derrotas para Bragantino, Santos (com time misto) e Internacional e empate com o Athletico-PR.

A goleada desta semana diante do time colorado acabou colocando Diniz sob muitas críticas e muito risco de demissão mais uma vez. Mas Raí e a diretoria do São Paulo garantiram que ele continua no cargo.