<
>

Inter revive Libertadores até na camisa de herói e tenta repetir 'escrita' dos últimos nove anos no Brasileiro

No duelo que valia a liderança do Campeonato Brasileiro, o Internacional aplicou 5 a 1 no São Paulo, na última quarta-feira (20), dentro do Morumbi, e assumiu a ponta da tabela. E uma estatística vem dando certo com os times que terminaram em primeiro lugar ao fim da 31ª rodada da competição.

Desde 2012, quem inicia a rodada 32 ocupando o lugar mais alto da tabela sai campeão. Foi assim com o Fluminense, em 2012, com o Cruzeiro, no bicampeonato em 2013 e 2014, com o Corinthians, vencedor em 2015 e 2017, com o Palmeiras, bi nas edições de 2016 e 2018, além do Flamengo, atual campeão brasileiro.

O Inter tem ao seu lado a estatística recente para tentar voltar a vencer a competição, algo que não acontece desde 1979. E um xodó da equipe gaúcha reviveu uma cena emblemática do clube no Morumbi e que entrou para a história.

Em campo, Yuri Alberto anotou três gols e comandou o chocolate aplicado no Tricolor. Nas redes sociais, diversos torcedores do Inter lembraram de outro camisa 11 que fez história em um jogo contra o São Paulo: Rafael Sobis, o grande nome da final da Libertadores 2006.

No primeiro jogo da final da competição sul-americana daquele ano, também disputado no Morumbi, o então garoto usava a camisa 11, fez dois gols em campo e comandou a vitória do Inter por 2 a 1, que deixou a equipe mais perto do inédito título.

Na volta, no Beira-Rio, empate em 2 a 2 e caneco garantido para o Inter, que era comandado por Abel Braga, atual treinador da equipe e ídolo do clube pelas conquistas da Libertadores e do Mundial de Clubes, no mesmo ano, contra o Barcelona.

Líder, o Inter agora tem outra pedra no caminho: o rival Grêmio. Sem vencer um clássico há 11 jogos, a equipe de Abel Braga tenta se manter na ponta tabela e quebrar o jejum que incomoda dentro do Beira-Rio.