<
>

Vestiário, Messi em rival do Barcelona, Mbappé e até aniversário de irmã de Neymar: técnico do PSG abre o jogo

play
Neymar comemora título da Supercopa da França devolvendo provocação de Payet, do Olympique de Marseille (0:08)

Instagram: @neymarjr | Meia do Marseille provocou quando o PSG perdeu a final da Champions para o Bayern em 2020 (0:08)

Levantar a taça da Uefa Champions League. Ao dizer 'sim' à proposta do Paris Saint-Germain, Mauricio Pochettino se comprometeu com o principal projeto esportivo dos franceses. Mas conquistar a Europa passa, principalmente, por comandar o vestiário estrelado da equipe.

Em longa entrevista à rádio espanhola Cadena SER, o treinador revelou detalhes de como foi recebido no clube francês, que tem fervido principalmente com os rumores sobre as renovações de contrato de Neymar e Mbappé.

“Encontrei um grupo que me recebeu de braços abertos. Adorei a humildade, novas ideias, novo discurso, a nova abordagem ao futebol. Eles têm uma atmosfera muito boa entre eles”, afirmou o Pochettino, comentando sobre a permanência das estrelas do elenco.

“O clube está trabalhando e se esforçando para renovar com jogadores que acredita serem importantes, e é claro que Mbappé tem um enorme potencial. Qual treinador não gostaria de ter ele em sua equipe? Temos uma relação muito boa com o Kylian, está muito feliz em Paris e veremos o que acontece. Não tenho dúvidas de que ele adora estar aqui. É claro que você quer o melhor no seu clube. O PSG tem a força e a capacidade de convencer e mostrar sua importância a este nível de jogadores”.

A manutenção das principais estrelas é o objetivo prioritário do PSG, mas os reforços também fazem parte do horizonte parisiense. Nesta semana o diretor esportivo do clube, o brasileiro Leonardo, agitou o noticiário ao 'abrir as portas' a Lionel Messi.

Uma eventual chegada do argentino a Paris agradaria Neymar, que já declarou que deseja voltar a atuar com o amigo dos tempos de Barcelona. Mas isso poderia se dar no PSG? Pochettino mantém uma posição menos efusiva sobre o caso.

“Não sei o que vai acontecer. Escutei essas afirmações e com toda a sinceridade não tivemos tempo de conversar sobre absolutamente nada. Estamos focados em encontrar a melhor forma de competir, vencer jogos e chegar à Champions League nas melhores condições”.

“Muitas vezes, qualquer afirmação ou frase minha como treinador do PSG pode ser mal interpretada. Tenho muito respeito pelos jogadores que tenho na minha equipe, mas tenho que ter respeito pelos jogadores das outras equipes também”, disse o treinador, revelando que esteve perto de comandar Messi quando era o treinador do Espanyol, no início de sua carreira na área técnica.

“Estive prestes a treinar Leo. Ele estava praticamente emprestado ao Espanyol antes do Barcelona disputar o Troféu Joan Gamper contra a Juventus de Capello (em 2004). Compartilhamos coisas muito fortes entre nós, como o fato de ambos termos crescido no Newell's Old Boys”.

Outro tema que abordado por Pochettino na entrevista à Cadena SER foi a presença de Neymar às festas de aniversário de Rafaella. Em 2020, quando foi decisivo para o Paris Saint-Germain na vitória sobre o Borussia Dortmund, pelas oitavas de final da Champions League, o craque 'interrompeu' uma sequência de cinco anos suspenso ou até mesmo seriamente lesionado no dia 11 de março, quando sua irmã festeja seu nascimento.

Agregador, o treinador não descartou uma eventual liberação ao brasileiro para que possa festejar o aniversário de sua única irmã, caso isso seja possível pelo calendário do PSG.

“Quando chegar a hora, veremos. Depois de 12 anos como treinador, gosto cada vez mais de ser flexível. As novas gerações gostam de ser ouvidas. Hoje os direitos não se conquistam com autoridade, mas sim pelo convencimento”, disse.

Escolhido por Leonardo, Pochettino compartilha com o Paris Saint-Germain a mesma cicatriz: o vice-campeonato da Champions League. O treinador foi derrotado na final europeia pelo Liverpool de Jürgen Klopp no comando do Tottenham, enquanto o PSG foi superado na edição mais recente pelo Bayern de Munique. Conquistar o maior torneio de clubes da Europa é um objetivo em comum agora.

“O objetivo do PSG é ser campeão europeu, nem precisam dizer. É algo latente que você respira no clube e é o grande sonho. No ano passado estiveram perto de conquistar, então é claro que essa é uma das razões fundamentais para que jogadores e torcedores sonhem com um título, o maior a nível de clubes da Europa”.