<
>

São Paulo tenta executivo do Orlando City e já tem lista de saídas para depois do Brasileiro, diz Nicola

O São Paulo fez um contato com Ricardo Moreira, executivo de futebol do Orlando City, dos Estados Unidos, e convidou o profissional para assumir um cargo no Morumbi.

A conversa ocorreu na reta final dezembro de 2020 e foi intermediada por ninguém menos do que Giuliano Bertolucci, maior empresário de futebol do Brasil.

Moreira faz sucesso há anos nos Estados Unidos e já foi campeão da Major League Soccer com o Columbus Crew.

Na temporada passada, ainda esteve na primeira classificação do Orlando City aos playoffs.

Tudo foi feito com aval do agora presidente Júlio Casares (que ainda não tinha assumido o cargo) e de Muricy Ramalho, novo coordenador técnico do Tricolor.

A informação é de Jorge Nicola, comentarista da ESPN Brasil, em seu blog no portal Yahoo!.

No papo, o time paulista quis entender a situação do executivo no Orlando City e ouviu que, neste momento, seria inviável sua saída do Orlando City, devido ao projeto com o time da Flórida, a recente renovação de contrato e o nascimento há três meses de sua 2ª filha.

Desta maneira, o São Paulo voltou à estaca zero e segue em busca de um substituto para Raí, que fica somente até 28 de fevereiro.

O processo está sendo conduzido no maior silêncio possível, a fim de evitar especulações.

Também existe na nova diretoria a preocupação que a saída de Raí e a chegada de um outro executivo não atrapalhe na reta final do Brasileirão.

LISTA DE SAÍDAS

Ainda segundo Nicola, a nova diretoria são-paulina também já tem uma lista de atletas que irão deixar o clube após o fim da disputa da Série A.

Em seu blog no Yahoo!, o jornalista revelou que o lateral-direito Juanfran e o atacante Rojas não terão seus contratos renovados.

Outro que também deve sair é Carneiro, centroavante uruguaio em baixa no Morumbi.

As mexidas têm a intenção de enxugar a folha salarial tricolor, que hoje gira na casa dos R$ 11 milhões por mês.

Em 2020, em razão da pandemia da COVID-19, o então presidente Leco convenceu os atletas a aceitarem o pagamento de somente metade dos salários - a outra metade começa a ser paga em março.

Juanfran recebe na casa dos R$ 600 mil mensais e é o lateral-direito mais caro em atividade no futebol brasileiro.

A avaliação interna é de que o espanhol não tem conseguido entregar desempenho para justificar tamanho investimento. Seu contrato termina no fim de fevereiro e não será renovado, de acordo com Nicola.

Rojas nem ganha tanto - cerca de R$ 120 mil mensais - mas também está fora dos planos e deixará o Morumbi quando seu vínculo acabar, no mês que vem. Ele passou um longo período em recuperação de duas cirurgias no joelho.

Já Carneiro chegou ao clube com enorme expectativa e era tido como a maior promessa do futebol uruguaio, porém nunca engrenou. Seu contrato termina em março.

No ano passado, chegou a ser suspenso por doping. Desde que foi liberado, esteve em campo seis vezes e marcou um gol.

Sem o trio, a economia tricolor vai girar na casa de R$ 1 milhão por mês.

Por fim, Nicola destaca que ainda haverá a necessidade de mais cortes, mas que eles só serão definidos após o Brasileirão.