<
>

Da maior derrota da história da Premier League ao choro da vitória contra o Liverpool: a redenção do Southampton

11 de janeiro de 2020. Há pouco mais de um ano, o Southampton vivia o primeiro grande momento de uma redenção espetacular na Premier League.

Grande redenção pode parecer um termo exagerado para o dia em que os Saints foram até o King Power Stadium e venceram o Leicester City por 2 a 1. Mas tem um peso enorme, sobretudo psicológico, ao considerar em que 25 de outubro de 2019 a equipe havia perdido para este adversário por 9 a 0, em casa, igualando a maior derrota já registrada na história da Premier League.

O atropelo inimaginável ocorreu em meio a um período em que o Southampton ficou oito partidas sem vencer no campeonato, sendo seis derrotas e dois empates. O time era vice-lanterna com apenas nove pontos após 13 rodadas e via o rebaixamento ser algo bem provável após um terço do campeonato.

A volta por cima foi dada com as mesmas peças e em pouco tempo. O técnico Ralph Hasenhuttl foi mantido e viu seu time bater o Chelsea em Stamford Bridge no Boxing Day de 2019. Ainda ganhou do Tottenham (casa) em janeiro, antes fechar a Premier League com uma sequência de sete jogos sem perder (quatro triunfos e três empates), com uma vitória sobre o Manchester City em meio a isso.

Os Saints terminaram na 11ª posição, a sete pontos da Europa League e 18 acima do último rebaixado. Uma campanha que parecia impensável meses antes.

O fim de 2019-20 parecia dizer muito mais sobre o Southampton do que o começo daquela campanha. Em 2020-21, os Saints até perderam em suas duas primeiras rodadas, mas foram derrotados só outras duas vezes nas 15 partidas seguintes no Campeonato Inglês, com oito triunfos e cinco empates.

O time de Hasenhuttl chega neste sábado como sétimo colocado com 29 pontos, quatro atrás do vice-líder Liverpool, que foi justamente o adversário em seu último compromisso, vencendo por 1 a 0 em 4 de janeiro. A partida ficou marcada pelo choro do técnico após o apito final.

"Havia lágrimas em meus olhos por causa do vento! Quando você vê nossos jogadores lutando com tudo o que têm, isso me deixa muito orgulhoso. Você precisa ter um jogo perfeito contra o Liverpool e acho que fizemos isso", disse o austríaco após o triunfo.

"Foi um jogo intenso, minha voz está quase no fim. O pessoal está cansado, é preciso estar para vencer um time assim. Acreditaram no que estavam fazendo. No minuto 92, pensei: "Ok, pode ser algo para nós. É uma noite perfeita", completou.

A "noite perfeita" se deu com uma atuação que beirou à perfeição dos zagueiros Jack Stephens e Jan Bednarek, que estiveram em campo contra o Leicester no fatídico 9 a 0.

Aliás, o Southampton revive toda sua epopeia nos últimos 15 meses neste sábado, quando visitará o próprio Leicester City às 17h (de Brasília) deste sábado, com transmissão da ESPN Brasil e ESPN App.