<
>

Benfica faz 'autoanálise' do time de Jorge Jesus: 'Exibições não têm correspondido às expectativas'

O Benfica perdeu o último Campeonato Português para o Porto e trouxe Jorge Jesus para tentar melhorar o nível da última temporada. Eliminado precocemente na Champions League, a equipe não lidera o nacional e sofre muita pressão.

O próprio site oficial do Benfica emitiu um longo comunicado sobre a atual fase do clube. No texto, uma autoanálise sobre as atuações ruins da equipe na temporada foi feita.

“O Benfica está nas quatro competições que tem ambição de vencer na temporada, com total possibilidade de cumprir o desígnio a que se propôs. As exibições não têm correspondido às expectativas e exigências dos torcedores? Admita-se que não! Mas qual é a equipe que, em tempos de pandemia, sem a intensidade, a adrenalina e o calor do público, tem encantado na Europa?”, dizia uma parte do texto, que você pode conferir na íntegra ao fim da página.

O Benfica vem sofrendo críticas pesadas por conta da eliminação precoce na Champions, pela perda da Supertaça para o rival Porto e em relação à classificação no Campeonato Português após o empate contra o Santa Clara.

No nacional, a equipe caiu para a terceira posição, com 28 pontos, mesmo número do Porto, segundo colocado. O Sporting lidera, com 32 pontos.

Confira abaixo o comunicado do Benfica

A grandiosidade do Benfica amplifica tudo, do mais eloquente feito ao simples deslize. É um delicado equilíbrio entre a exaltação e a depressão o universo em que qualquer benfiquista se movimenta.

O empate nos Açores, diante do Santa Clara, gerou sondagens, radiografias, debates e programas especiais no panorama mediático nacional. Exagero? Não, não vamos por aí. A dimensão do Benfica expressa-se também nestes momentos, em que um mero resultado abaixo das expectativas implica um desabar de críticas e o raiar de inúmeras questões de fundo.

Vamos a fatos, olhando com frieza e racionalidade, nunca descurando a paixão que nos move neste clube. O Benfica está nas quatro competições que tem ambição de vencer esta época com total possibilidade de cumprir o desígnio a que se propôs. As exibições não têm correspondido às expectativas e exigências dos seus adeptos? Admita-se que não! Mas qual é a equipe que em tempos de pandemia, sem a intensidade, a adrenalina e o calor do público, tem maravilhado nos relvados dessa Europa fora?

Há questões inequívocas que devemos ter presentes: o Benfica tem um excelente plantel, com diversos e reputados internacionais; o Benfica tem um treinador com um dos melhores currículos do Mundo.

Essas são premissas inquestionáveis. Se ao vazio dos estádios – sim, o Benfica é, comprovadamente, o clube que mais força perde com a ausência dos adeptos – somarmos o calendário diabólico dos últimos meses, a paragem para as seleções, as lesões e os sucessivos casos de COVID-19, temos de admitir que a natural progressão do modelo de jogo, que tão atraente se mostrou logo de início, acabou por ser influenciada. Até porque, tal como retratava muito bem um excelente debate ontem na BTV, não é apenas a ausência de jogadores a consequência principal dos casos de COVID-19: todas as dinâmicas de grupo, a recuperação e o regresso dos atletas aos seus níveis físicos habituais são afetados.

Sem desculpas, com a exigência e a ambição que sempre caracterizam o Benfica, com uma liderança que é exercida diariamente e não propalada externamente, acreditamos que, juntos, vamos ultrapassar todas as condicionantes e regressar às vitórias já depois de amanhã. E almejar os objetivos a que nos propomos. Como um dia uma grande referência política internacional expressou, na vida os que triunfam não são os que nunca caem, mas aqueles que sabem reerguer-se”.