<
>

Cruzeiro tem menos de 1% de chance de subir e agora até probabilidade (mínima) de cair para Série C é maior

Ao empatar sem gols com o Cuiabá, o Cruzeiro praticamente deu adeus ao acesso para o Campeonato Brasileiro. Com seis jogos para disputar, o time tem probabilidade mínima de subir. Por incrível que pareça o risco (embora igualmente pequeno) é de cair.

Hoje, o time celeste aparece com 41 pontos, oito atrás o Juventude, que é o quarto colocado, na última posição que dá acesso, e seis à frente do Náutico, primeiro na zona de rebaixamento. Ambos os clubes citados ainda entram em campo pela 32ª rodada da Série B.

De acordo com projeção feita pela Universidade Federal de Minas Gerais, o Cruzeiro tem 0,40% de chance de conseguir retornar para a elite no ano de seu centenário. A UFMG também cálcula o risco de queda, que corresponde a 0,87%.

Diante desse cenário, o empate sem gols com o Cuiabá, no estádio Independência, em Belo Horizonte, gerou muitas críticas. O técnico Luiz Felipe Scolari foi questionado sobre o Cruzeiro continuar na Série B em 2021 e rebateu.

“O que eu vim para fazer, e vamos fazer, é tirar o Cruzeiro da Série C. O Cruzeiro tinha 13 pontos, era o 19º e estava há oito ou nove rodadas na zona de rebaixamento. Pronto. Não está. Ganhando três ou quatro pontos, ficará na B”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

“Não sai da Série C só com camisa, sai com jogadores. Não sai só com meninos, sai com jogadores um pouco mais veteranos e mais rodados. Tudo isso é uma questão que temos de estudar para o ano que vem, pronto”, disse na sequência.

Ao analisar os erros cometidos pelo Cruzeiro na segunda divisão, o treinador gaúcho apontou que eles começaram no início do ano, quando a agremiação vivia o caos e antes da atual diretoria assumir. Antes mesmo da chegada dele.

“Agora, tudo isso foi montado no início do ano, e eu não tenho como discutir o que é que pensaram e como pensaram. Tenho que pensar na equipe que assumimos. Quando assumimos, fizemos os pontos necessários para sair da Série C”, disse o treinador.

De fato, Felipão assumiu com o time na zona de rebaixamento, com apenas 13 pontos em 16 rodadas. Desde então, conseguiu melhorar o rendimento, com aproveitamento de 58,3%. Foram 28 pontos conquistados, mas insuficientes para entrar no G-4.

Com seis rodadas para o fim da competição, o Cruzeiro pode chegar no máximo a 59 (se tiver 100% de aproveitamento). Além de ser algo difícil, a pontuação não garante o acesso. Na Série B com 20 times, apenas o Vitória em 2007 subiu dessa forma.

O cenário é triste para o torcedor celeste, que mal poderá celebrar o centenário no próximo 2 de janeiro.