<
>

Finalista da Champions asiática, Júnior Negão celebra 'melhor ano da carreira' e aponta o que time precisa para ser campeão

play
Destaque de time coreano, atacante revela revela joia brasileira exaltada por companheiro após encontro na seleção: 'Nunca vi alguém como ele' (1:27)

Júnior Negão falou com exclusividade ao ESPN.com..br (1:27)

O Ulsan Hyundai surpreendeu a Ásia com a conquista de uma vaga na grande decisão da Liga dos Campeões, eliminando favoritos como Beijing Guoan e Vissel Kobe. Um dos grandes destaques da campanha é o brasileiro Júnior Negão.

Autor do gol da classificação da equipe para a final contra o Persepolis, o brasileiro apontou o que a equipe precisa para ultrapassar a ansiedade e conseguir vencer duelo.

“Óbvio que dá um frio na barriga pelo tamanho do jogo que é. Mas a gente sabe, pela experiência, que a cabeça conta muito nessas horas. É tentar se manter firme, se manter focado e continuar fazer o que vinha fazendo. Não adianta mudar tudo no último jogo, porque o que a gente tem feito tem dado certo. Então, é ter tranquilidade, manter a cabeça no lugar, para que a gente possa fazer o que a gente o que tem feito até agora. Temos que ter tranquilidade para isso”, disse.

Eliminando favoritos, o Ulsan chegou à final depois de oito anos. Júnior disse como isso tem sido comentado na Coreia e ainda elegeu o desafio mais difícil da campanha.

“Na Coreia, tem se falado muito dessa final. Porque, depois que a gente perdeu o título coreano, talvez, eles não acreditassem que a gente chegasse em uma final de Champions League. Principalmente depois que a gente eliminou o Vissel Kobe, se fala muito de 2012, de que temos a oportunidade de fazer história de novo com o Ulsan. Se coloca muito a gente como favorito, o que eu não gosto muito, mas a expectativa na Coréia está muito grande com relação a isso”, afirmou.

“Eu acho que foi contra o Beijing, porque, além do Renato Augusto, você tem o próprio Fernandinho, o Alan e alguns chineses que são bons. Então, ter jogadores de qualidade do meio para a frente te causa mais problema, o que foi que aconteceu no jogo contra o Beijing. Mas a gente soube controlar bem, teve uma excelente postura, principalmente defensiva. E conseguimos construir o resultado no primeiro tempo, isso traz tranquilidade, dá mais confiança. Depois do segundo gol, a gente conseguiu se defender bem, fechar os espaços que eles estavam criando e jogar no contra-ataque”, completou.

Por fim, o centroavante celebrou a temporada que teve 32 gols em 38 jogos disputados, a colocando como a melhor de sua carreira.

“Está sendo maravilhoso. Apesar de toda essa dificuldade que o mundo está passando, pessoalmente, está sendo um ano maravilhoso. Sem sombra de dúvida, o melhor ano da minha carreira. Só procuro aproveitar, curtir esse momento. Porque a gente batalha para isso, para ter o reconhecimento, para ter esse tipo de experiência, mas sempre me policio muito para ter noção de que é um momento importante, mas colocar o pé no chão, lembrar do que a gente passou para ter esse momento de vitória com muito mais sabedoria”, finalizou.