<
>

Webó desabafa sobre racismo em PSG x Istanbul e dispara: 'Foram os dias mais difíceis da minha carreira'

play
Pascoal desabafa após caso de racismo do 4º ábitro em PSG x Istanbul na Champions: 'Me enoja' (2:57)

Aos 14 minutos do 1º tempo, o auxiliar-técnico do Basaksehir, o camaronês Pierre Webó, acusou o 4º árbitro do jogo, Sebastian Coltescu, de ter o ofendido com uso de termo racista. (2:57)

Pierre Webó deu uma entrevista após acusar o quarto árbitro Sebastian Coltescu de racismo na partida entre Paris Saint-Germain e Istanbul Basaksehir, na ultima terça-feira (8), em jogo da Champions League.

O ex-jogador camaronês e que atua como auxiliar no time turco disse que o episódio será um divisor de águas na luta contra o racismo. A declaração foi para o canal BBC.

“Na minha opinião, há um 8 de dezembro antes e um depois do que aconteceu. Será lembrado”, disse o ex-atleta.

Segundo Webó, a semana foi complicada e considerou os dias como os mais difíceis da sua carreira. No entanto, ele pediu que não seja lembrado apenas por um caso de racismo.

“Não quero que as pessoas se concentrem em mim por causa disso. Seria uma pena se eu fosse lembrado por isso”, disse Webó, que completou:

“Tenho vergonha disso, para ser sincero. Esses dias foram os mais difíceis da minha carreira”, finalizou.

Entenda o caso

Aos 14 minutos do 1º tempo, o auxiliar-técnico do Basaksehir, o camaronês Pierre Webó, acusou o 4º árbitro do jogo, Sebastian Coltescu, de ter o ofendido com uso de termo racista.

Revoltados, os atletas da equipe turca conversaram por longo período com o árbitro Ovidiu Hategan e, em seguida, abandonaram o gramado no Parque dos Príncipes. O time do PSG se juntou aos protestos durante todo o tempo e também abandonou o gramado. Depois de muita discussão, o jogo acabou adiado para esta quarta-feira.

O atacante Demba Ba foi quem liderou o movimento. As câmeras flagraram a reclamação dele com o quarto árbitro.

"Você nunca diz 'aquele cara branco'. Então por que quando você fala com um cara negro, você tem que dizer 'aquele cara negro'?", disse.

Em campo, o PSG apoiou o movimento desde o começo. Neymar e Mbappé, os dois principais jogadores do clube parisiense foram contundentes em conversa com o árbitro.

"Nós não vamos jogar", disse o Neymar.

"Se esse cara não sair, nós não jogamos", completou Mbappé.

Goksel Gumusdag, presidente do clube turco, chegou a dizer que o time só voltaria ao gramado se o quarto árbitro fosse retirado do jogo.

A Uefa decidiu, então, substituí-lo por um juiz que estava no VAR. E anunciou que a partida seria voltaria a ser disputada às 18h (horário de Brasília).

Mesmo assim, o Istanbul Basaksehir se recusou a voltar a campo. A Uefa acabou cedendo e anunciado que a partira voltará a ser disputada nesta quarta-feira.

Em campo, os times se enfrentaram e o PSG venceu. Com três gols de Neymar e dois de Mbappé, o time parisiense aplicou 5 a 1 no adversário.