<
>

Vasco: Leven Siano e Jorge Salgado trocam farpas antes de julgamento que decidirá eleição

play
Souza explica 'promessa' ao Vasco e evitar falar em retorno: 'Eu não ajudaria tanto' (3:44)

'Eu devo tudo ao Vasco, mas, hoje, eu não conseguiria desempenhar o mesmo futebol; eu não queria manchar a imagem que a torcida tem de mim', disse o volante brasileiro (3:44)

Os candidatos vencedores nas duas eleições no Vasco, Leven Siano e Jorge Salgado, estão trocando farpas pelas redes sociais. Os dois aguardam o julgamento do próximo dia 17, no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, para saber quem terá direito a assumir a presidência.

Siano, que venceu a eleição do dia 7 de novembro, se diz chateado com a situação criada pelo imbróglio judicial. Para ele, isso está prejudicando a imagem do clube e pode afastar potenciais investidores. Siano afirma ter passado dois anos tentando convencer pessoas de fora do futebol a investir no Vasco.

"Disse que a gente ia entregar um clube organizado, com uma gestão profissional, e infelizmente as notícias que estão saindo no mundo todo sobre essa conturbada eleição estão fazendo os investidores me questionarem se realmente é possível ter um Vasco organizado da maneira que eu disse a eles que faria. Então minha preocupação é sempre com o Vasco, e com a imagem repercutindo negativamente entre aqueles que têm efetivamente condições de ajudar o Vasco", disse em live no canal Vascaíno do Cerrado, no Youtube.

Jorge Salgado, que venceu a eleição do dia 14, retrucou em sua conta no Twitter.

"Terminamos agora mais uma rodada de reuniões com investidores do Rio e de SP. Estes são investidores reais q lidam com pessoas de credibilidade e estão aguardando a decisão da Justiça para poder ajudar o Vasco. Investidores imaginários de 5bi realmente podem se afastar…", postou.

"Confiamos na sensibilidade da justiça para resolver essa questão antes do recesso do judiciário. O Vasco tem pressa, muita pressa!", continuou.

O julgamento em 17 de dezembro não significa o fim das ações judiciais. Existe ainda a possibilidade da Justiça determinar a realização de novas eleições nas próximas semanas. O mandato do presidente Alexandre Campello termina do dia 19 de janeiro.