<
>

São Paulo: candidato à presidência, Natel diz que apuração foi 'estranha' e pede recontagem de votos em eleição de conselheiros

Atual vice-presidente e candidato à presidência do São Paulo, Roberto Natel entrou com um pedido de recontagem dos votos da eleição para o conselho do clube, realizada no último sábado (28), prometendo recorrer em todas as instâncias internas do clube - segundo pessoas próximas ao cartola, ele não pretende entrar na Justiça. A queixa é um possível erro na contagem apresentada.

O resultado final foi anunciado após mais de 14h do encerramento do pleito, com a eleição de 74 conselheiros da chapa “Juntos pelo São Paulo”, grupo que apoia o candidato Julio Casares, e 26 da “Resgate Tricolor”, favorável a Natel.

Ao todo, 2.494 sócios votaram. Agora, os conselheiros eleitos se unem aos 151 conselheiros vitalícios para eleger o próximo presidente. A data do pleito já está sendo anunciada para o próximo dia 12 de dezembro, no Morumbi.

O candidato Julio Casares aparece como favorito por ter mais conselheiros eleitos. Para superar o rival, Natel teria de contar com apoio maciço dos conselheiros vitalícios e mudanças de opinião entre os conselheiros eleitos agora. Cenário incomum.

No documento redigido e assinado por Natel ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e também ao presidente do conselho deliberativo, Marcelo Pupo, o candidato questiona um procedimento que já inviabilizaria, segundo ele, o pleito do último sábado.

Natel afirma que Leco distribuiu cédulas eleitorais antecipadamente em 24 de novembro aos associados sob a justificativa de atender um “protocolo de segurança sanitária” dentro do clube, “utilizando-se do argumento de que tal procedimento visava resguardar os associados de aglomerações por conta da pandemia da COVID-19”. Natel diz que a decisão vai contra o Estatuto do clube e as regras eleitorais internas.

A outra queixa do candidato é de um possível erro na apuração dos votos, que eram conferidos a partir das cédulas pelos mesários e transmitidos em seguida para um software de contagem. Foi o software que apresentou o resultado final de 73 a 27.

Natel questiona falhas ocorridas durante a apuração --“15 interrupções por ‘problemas de software’ em que os votos, um a um, eram lançados manualmente”-- e diz que alguns conselheiros tiveram votos inferiores no resultado final ao que tinham durante a apuração.

“Renato de Carvalho Rodrigues, Antonio de Oliveira Rego e Moacyr Scardigno Prado Bittencourt Filho tinham, durante a contagem das 5 primeiras urnas 75, 62 e 61 votos, respectivamente, de acordo com o registro fotográfico do software oficial do SPFC. No entanto, ‘estranhamente’ o resultado final em relação a estes conselheiros totalizou números inferiores (…) 69, 56 e 55 votos, respectivamente”, alega.

O candidato à presidência apresenta outro exemplo para questionar a contagem oficial de votos, dizendo que o candidato ao conselho, Paulo Roberto Satake, conseguiu 89 votos na quinta urna, mas ao final da apuração totalizou 119.

“Ou seja, somente 30 votos em 20 urnas [restantes], o que gera enorme dúvida da apuração realizada”, alega Natel.

Ele solicita a recontagem de votos e esclarecimentos aos casos apontados e afirma que se não for concedido esta oportunidade terá de adotar outros caminhos. “Infelizmente, teremos de adotar as medidas judiciais cabíveis”. O estafe diz que seriam as esferas do próprio clube.

Até a publicação deste texto a diretoria do São Paulo e o candidato Julio Casares não tinham se pronunciado.

Nota da redação: no domingo, a apuração eleitoral do São Paulo apontou inicialmente que foram 73 conselheiros eleitos pela chapa encabeçada por Casares e 27 por Natal. Horas depois corrigiu os dados, divulgando os números atuais: 74 x 26.