<
>

Ederson diz ser o 'melhor batedor de pênaltis' do Manchester City e brinca: 'O treinador não me escolhe'

Além de colecionar boas atuações com defesas importantes na meta do Manchester City, Ederson se destaca pela qualidade com os pés para sair jogando. Além disso, ele gosta muito de cobras faltas e bater pênaltis, assunto que virou tema da entrevista coletiva antes de enfrentar o Porto, nesta terça-feira, às 17h, pela Champions League.

Escolhido para falar com os jornalistas, o brasileiro brincou com a qualidade que tem mesmo sendo goleiro. Afirmou que, no momento, não vem treinando tantas faltas, mas está apto se for escolhido para bater pênaltis, inclusive, se divertindo sobre não ter sido 'convocado' por Pep Guardiola.

“Faltas não treino, é muito difícil, treino mais pênaltis. Batia algumas faltas no Ribeirão, o treinador mandava, mas essa época já passou. Temos bons batedores de faltas na equipe. Sou o melhor batedor de pênaltis, mas ele (Guardiola) não me escolhe para bater (risos). O mais importante é a equipe estar bem, marcando gols e vencendo os jogos”, disse o goleiro.

Recentemente, Ederson a história do seu início de carreira revelada e a habilidade com os pés. Depois de sair da base do Benfica, o goleiro foi para o Ribeirão, também de Portugal. Foi aí que o Rio Ave, clube que defendeu por três temporadas, entrou na sua vida.

Em entrevista ao canal 11, o presidente do clube, Antonio Silva Campos, contou quando conheceu o brasileiro sem intenção alguma e acabou o contratando.

“O Ederson tinha acabado de ser dispensado dos juniores do Benfica e estava jogando no Ribeirão, cujo presidente tem uma longa relação amizade comigo”.

“Em função dessa ligação fomos lá observar um jogador, um ponta de lança, mas nesse jogo vi o Ederson sair do gol para bater uma falta. E a bola foi na trave, isso num chute do meio-campo. Fomos lá para ver um atacante e trouxemos o Ederson e o Marcelo”, completou.

Ederson jogou três temporadas pelo Rio Ave e se destacou. O sucesso o fez retornar ao Benfica, clube que o fez emplacar de vez no futebol.

Em duas temporadas, a última deles sendo absoluto, o credenciaram para ser contratado pelo Manchester City. Os ingleses pagaram 40 milhões de euros na época pelo brasileiro.

Desde então, ele é titular absoluto dos Citizens e homem de confiança do treinador Pep Guardiola.