<
>

Arana diz que não vai julgar Marrony e Borrero por balada durante pandemia: 'Maiores de idade e sabem das responsabilidades'

play
Torcedores organizados do Atlético-MG ameaçam Marrony e Dylan Borrero ao verem jogadores na balada (1:06)

Via Instagram @galoucuratorcida | Torcedores foram atrás dos atletas em festa em Belo Horizonte (1:06)

Depois de o perfil oficial da Galoucoura, a mais numerosa torcida organizada do Atlético-MG, postar uma série de vídeos com Marrony e Dylan Borrero supostamente saindo de uma casa noturna em Belo Horizonte, no último domingo, o assunto foi tema em entrevista coletiva no clube.

Escolhido para falar com os jornalistas, Guilherme Arana afirmou que não vai dar sua opinião sobre a postura dos companheiros. No entanto, afirmou que atletas sabem das responsabilidades que devem seguir na vida social.

“Não cabe a mim julgá-los. Estamos passando por um momento difícil, mas eles são maiores de idade e sabem das responsabilidades. Não cabe a mim tomar qualquer decisão. Independentemente do que aconteceu, aqui é uma família. Espero que eles aprendam, pois esse assunto será resolvido internamente”, disse o lateral.

Entenda a história

O primeiro vídeo mostra Marrony sendo abordado na saída da boate La Revoli Eventos, no bairro Ressaca, em Contagem. Os outros dois mostram os torcedores falando e até ameaçando Borrero.

Durante a cobrança, alguns torcedores chegaram a apontar o dedo em direção aos jogadores, que ficaram encurralados, sem saída, e a situação ficou tensa. É importante dizer que as imagens não mostram nenhuma agressão, mas a ação foi totalmente intimidadora.

A organizada cobrou responsabilidade em meio ao recente surto de COVID-19 no Atlético-MG, que afastou 11 jogadores, o técnico Jorge Sampaoli e seis integrantes da comissão técnica. Uma parte voltou a trabalhar no dia 26 e outra no último domingo.

“Eu já peguei já, mano”, disse Marrony, ao ser abordado pelo presidente da Galoucura, Josimar Júnior, que rebateu:“Já pegou, já? Cê é doido? Você tá ficando doido, irmão? E o elenco? O time tá disputando o Brasileiro.”

Em certo momento, outro integrante da organizada chega a arrancar a máscara do rosto do atacante.

Os diálogos com Borrero foram com o tom mais forte, com integrantes da torcida apontando o dedo para ele. É possível ouvir frases como: “Tá pensando que aqui é Colômbia? Você tá errado, você ganha milhões! Aqui não é Colômbia, aqui é Galoucura.”

A torcida também publicou um texto para falar da ação no domingo, e recebeu o apoio de muitos seguidores.

“Todos tem acompanhado a ‘crise’ da COVID-19 em nosso elenco e comissão técnica. E hoje, domingo, por volta de meia noite, recebemos a informação que os jogadores Marrony e Dylan Borrero estavam numa balada. Isso mesmo!!! Em plena pandemia, estes irresponsáveis estão em balada, com sério risco de se contaminar pelo Covid e ainda passar para os demais jogadores. Que irresponsabilidade! A fiscalização continua, independentemente de qual jogador for, nós iremos cobrar. Nós não aceitaremos isso jamais! Nenhum jogador é maior que a instituição Clube Atlético Mineiro”, consta no texto publicado.

O Atlético-MG volta a campo contra o Internacional, no domingo, às 18h15, dentro de casa. A equipe mineira está na ponta da tabela do Brasileirão, com 42 pontos em 23 jogos disputados até o momento. O São Paulo, segundo colocado, tem 41 pontos, mas fez apenas 21 partidas.