<
>

Botafogo - Honda volta a se manifestar após desabafo e cobra o clube: 'Não sou só um empregado, sou um parceiro'

play
Paulo Calçade diz que Botafogo é um clube doente e lamenta: 'Está em estado terminal' (1:17)

Comentarista falou sobre a situação atual do clube carioca (1:17)

Keisuke Honda foi ao Twitter novamente para se manifestar após ter feito um desabafo nesta sexta-feira sobre a situação do Botafogo. Mais cedo no mesmo dia, o clube anunciara a dispensa de Ramón Díaz e o retorno de Eduardo Barroca, que será o quinto técnico diferente da equipe em 2020.

"Eu não lamento o que disse ontem. Porque é importante para mim. Eu não sou só um empregado, eu sou um parceiro", escreveu o meio-campista de 34 anos.

"Inacreditável. Vou começar a pensar em ir embora nos próximos dias caso eles não me convençam em alguns dias", havia escrito o japonês na sexta.

Em 2020, o Glorioso começou o ano com Alberto Valentim. Depois teve Paulo Autuori, Bruno Lazaroni, que foi efetivado e demitido em poucas semanas, e Ramón Díaz. O argentino não chegou a estrear pelo clube, já que passou por uma cirurgia e foi demitido antes de retornar ao Brasil. Emiliano Díaz, filho e auxiliar de Don Ramón, foi quem comandou a equipe carioca.

Nos últimos dias, o Botafogo também passou por eleições presidenciais. Durcésio Mello foi eleito presidente do clube pelos próximos quatro anos e terá a missão, a partir de 2021, de tirar a equipe carioca da crise vivida nos últimos anos.

O time alvinegro está na vice-lanterna do Brasileirão e não vence há nove partidas oficiais (seis derrotas e três empates), tendo sido eliminado nas oitavas de final da Copa do Brasil pelo Cuiabá no período. Com quatro reveses seguidos na Série A, a equipe volta a campo em 5 de dezembro (sábado), quando receberá o Flamengo no Nilton Santos, às 17h (de Brasília).