<
>

Botafogo: Barroca diz que volta ao clube com três objetivos e abre o jogo sobre Honda: 'Ninguém joga uma Copa do Mundo e desaprende'

play
Paulo Calçade diz que Botafogo é um clube doente e lamenta: 'Está em estado terminal' (1:17)

Comentarista falou sobre a situação atual do clube carioca (1:17)

Eduardo Barroca foi apresentado como novo técnico do Botafogo neste sábado (28) com a corda no pescoço pela situação vivida pelo clube na tabela de classificação. Em sua primeira entrevista coletiva, o comandante estabeleceu três pilares no início de sua jornada no clube.

“Eu estou vindo aqui com três objetivos claros na minha cabeça. O primeiro é proteção externa, blindagem externa. Desde que eu acertei minha vinda para o Botafogo eu vejo uma onda externa negativista. Para que os jogadores possam focar no que realmente nos importa”, disse.

“O segundo é entregar qualidade de trabalho e dedicação plena, para que os atletas enxerguem claramente que o trabalho vai ser pautado em critérios e coerência. O terceiro, e principal, reestabelecer uma confiança interna, porque se a gente não trabalha com confiança, alegria, a gente não consegue trabalhar em uma plenitude”, completou.

Outra situação que o treinador encontrará em sua chegada é a crise interna vivida pelos últimos acontecimentos. Uma das situações mais nervosas é a de Keisuke Honda, que, na última sexta (27), publicou em seu perfil no Twitter que pensa em deixar a equipe depois da notícia da demissão de Ramón Díaz antes de sua estreia.

Barroca disse que conta com o camisa 4 em seu elenco, ressaltou a necessidade de se manter o elenco unido no momento atual e ainda defendeu o japonês pela fase vivida dentro dos gramados.

"Evidente que eu conto aqui com todos os jogadores do Botafogo. É um momento para a gente se juntar, para ter uma competição interna forte, e eu tenho certeza que todos os jogadores vão contribuir para que a gente reverta esse cenário atual e consiga entregar esse resultado que o torcedor tanto espera - e que a gente também tem uma expectativa muito alta que aconteça", avaliou.

“Torcedor pode ter certeza de que esse grupo vai reagir a curto prazo, porque tem qualidade, porque tem personalidade. Eu conheço a grande maioria deles, ninguém desaprende a jogar. Ninguém joga uma Copa do Mundo, ninguém vai a uma seleção brasileira, ninguém fica jogando a Série A do Brasileiro por tanto tempo como vários que têm aqui e desaprende, não tem qualidade. Isso não existe”, finalizou.

Essa é a segunda passagem de Eduardo Barroca pelo Botafogo, que deixou o Vitória para assumir a missão de salvar o time do rebaixamento. Em seu primeiro trabalho no time, comandou a equipe em 27 jogos, com 10 vitórias, três empates e 14 derrotas.