<
>

Ex-companheiro de Abel Ferreira diz por que não vê Palmeiras 'jogando bonito' com chegada do novo treinador

play
Ex-companheiro de Abel Ferreira em Portugal contra como treinador é 'nos bastidores': 'Pensamento sempre positivo' (0:53)

Sidney Moraes (ex-São Paulo, Fluminense e outros) trabalhou com o treinador do Palmeiras no Braga, de Portugal (0:53)

Em uma de suas últimas coletivas de imprensa como técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo rebateu algumas críticas que vinha recebendo da torcida na época. Uma delas que o Palmeiras estaria jogando 'feio'. A declaração foi dada após a derrota por 2 a 0 para o São Paulo, no Campeonato Brasileiro, em clássico que marcou a primeira vitória dos rivais no Allianz Parque.

“Temos os garotos que subiram e esse é o elenco agora, vamos ver como encaixar de novo e da melhor maneira para a equipe funcionar. Deram muita pancada em mim porque a equipe jogava 'feio'. Tem que saber se tenho equipe para jogar bonito”, declarou na época, dando a entender que poderia tentar mudar o plano de jogo alviverde.

Quase dois meses se passaram desde a declaração de Luxa, e agora quem comanda o Palmeiras é outro treinador, Abel Ferreira, que vem tendo um início com bons resultados no clube. Em sete jogos, ele e sua comissão técnica conquistaram cinco vitórias, um empate e uma única derrota.

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, o ex-jogador e, hoje também treinador, Sidney Moraes, que atuou ao lado do português no Braga, de Portugal, lembrou da convivência com o Mister do Palmeiras e disse no que o novo comandante pode acrescentar ao Alviverde. Sobre 'jogar bonito', o ex-companheiro deixou claro que, na sua opinião, a equipe não tem material humano para isso, mesmo com a chegada de Abel.

“Sempre foi muito determinado e dedicado, muito centrado, principalmente, em termos táticos e sempre ouvindo muito o treinador, prestando atenção, atento a tudo o que era passado. Ele era lateral-direito de muita força, não era muito técnico, de talento no confronto no 1 contra 1, que quebrasse as linhas, que tivesse uma característica muito ofensiva. Pelo contrário, era mais defensivo, jogava muito na linha de 4, mas, defensivamente, marcava muito forte, era muito forte defensivamente, em todos os aspectos. Fechava muito bem, dava segurança para que o extremo do lado jogasse com mais liberdade, não precisasse recompor tanto, porque a marcação é a principal característica dele. Foi um cara muito determinado”, começou por lembrar Sidney sobre Abel enquanto jogador.

“Acredito que, como treinador, muito também do que ele fez no campo passou para essa outra parte, de Mister, poder demonstrar isso para os jogadores também. Essa dedicação, concentração naquilo que faz, esse poder de resolver as coisas de uma forma decisiva, por ser mais atento no detalhe também, eu acho que fez com que ele tivesse uma oportunidade de trabalhar no futebol brasileiro, e num clube grande como é o Palmeiras, da sua grandeza, e poder mostrar o seu trabalho aqui”, prosseguiu.

Em relação à sua chegada ao futebol brasileiro, Sidney crê que Abel veio num bom momento: com um contrato longo e com a confiança da diretoria alviverde no seu trabalho. Entretanto, a exemplo do que aconteceu com Domènec Torrent, recentemente demitido do Flamengo, acredita que o português não está 'blindado' no cargo, apesar de afirmar que a situação do técnico espanhol foi diferente.

play
4:17

'O risco ele sempre tem', diz ex-companheiro de Abel Ferreira sobre português ter 'vida curta' no futebol brasileiro

Sidney Moraes (ex-São Paulo, Fluminense e outros) trabalhou com o treinador do Palmeiras no Braga, de Portugal

“O risco ele sempre tem. Agora, ao meu modo de ver, são circunstâncias diferentes (Abel e Dome). Qualquer treinador que assumisse a equipe do Flamengo pós-Era Jesus iria ter dificuldade. O que eu acho que o Flamengo errou, estou de fora falando, é uma opinião, (foi) na característica do treinado...O Abel tem um caminho totalmente diferente no Palmeiras, que não foi campeão brasileiro, mas que, querendo ou não, o Vanderlei Luxemburgo foi campeão paulista, é um Palmeiras que tem uma cobrança muito grande, é um time que tá brigando com o Flamengo com um dos maiores investimentos do Brasil, um time que tem dinheiro, que não aceita ficar lá embaixo, tanto é que foi campeão paulista e o Vanderlei acabou sendo demitido, num clube que estava até bem no campeonato (brasileiro), não estava mal. Não é uma situação diferente, mas eu acho que o Abel veio num momento bom porque tem um contrato longo, porque o Palmeiras está acreditando agora num técnico estrangeiro”, prosseguiu.

Sobre o estilo de jogo, Sidney acredita que Abel vai conseguir trazer competitividade ao time do Palmeiras, colocando a equipe na briga por títulos, mas que não mostrará 'dará show' em campo.

“Não é nem que o Abel não consiga fazer (o Palmeiras jogar bonito), assim como o Vanderlei. Eu acho que os jogadores do Palmeiras têm um grupo muito qualificado, mas não têm os jogadores que possam, de repente, ser fora do sério para poder fazer um time jogar bonito. Por exemplo, um cara que era fundamental no Palmeiras e saiu era o Dudu. O Palmeiras perdeu muito com isso. Era um diferencial, um cara que, de todos que têm aí, é o que mais completava a equipe do Palmeiras, a equipe tinha uma dependência por ele. Isso não foi em seis meses, foram anos que o Palmeiras ficou dependendo dele e ele retribuindo isso dentro de campo. Acho que o Palmeiras não vai ser um time de jogar com essa expectativa toda, porque todo mundo quer que o time vença, convença e que jogue bonito. Acho que o Palmeiras tem um time competitivo, é um time que vai jogar dentro das condições muito bem, mas que não vai ter algum jogador como Neymar, Dudu, Roladinho Gaúcho, que vai dar um espetáculo diferente daquilo que a Academia está acostumada, que os torcedores do Palmeiras estão acostumados, com Ademir da Guia, o próprio time do Palmeiras com Rivaldo, Djalminha, Müller, Luizão, são completamente diferentes. O time do Felipão com Paulo Nunes, Oséas, Zinho, Alex, Galeano. A gente não vê isso, o que eu vejo é um Palmeiras competitivo, que vai brigar para ser campeão, sim, que melhorou a sua condição é que vai melhorar com a chegada do Abel, mas não vejo um time que vai jogar como o Flamengo do Jesus do ano passado”, disse.

play
3:06

'Não vai dar show', diz ex-companheiro de Abel Ferreira em Portugal sobre Palmeiras 'jogar bonito' com novo treinador

Sidney Moraes (ex-São Paulo, Fluminense e outros) trabalhou com o treinador do Palmeiras no Braga, de Portugal

“O Abel chegando agora, mudança e a metodologia diferente de trabalho, outra filosofia, e o Palmeiras tem bons jogadores. O resultado ajuda muito porque, quando as vitórias aparecem, a confiança aumenta e aí você tem tudo para impor algumas coisas, mas eu não acho que o Palmeiras, pelo estilo, vai ser um time que vai jogar e não vai encantar não. Sabe, acho que o Palmeiras é um time que tem bons jogadores, mas que vai ser um time que não vai dar show, espetáculo”, finalizou.

Atual 6º colocado do Brasileirão, o Palmeiras volta a campo pela competição neste sábado (28), quando recebe o Athletico-PR no Allianz Parque, pela rodada 23.