<
>

Piqué revela 'dor' por Suárez, comenta futuro de Messi e admite sonho de ser presidente do Barcelona: 'Sou muito culé'

play
Argentinos tomam ruas de Barcelona e prestam tributo a Diego Maradona: música, bandeiras, foguetório e muita emoção (1:54)

Os fãs de Diego Armando Maradona fizeram uma grande homenagem ao eterno craque do futebol mundial (1:54)

Um dos principais nomes do Barcelona no século, Gerard Piqué se tornou uma instituição dentro do clube. Títulos, derrotas sofridas e muita identificação com o time do coração, além do sonho de se tornar presidente blaugrana.

Em entrevista ao Marca, o defensor abriu o coração e deixou em aberto a chance de comandar o clube. Segundo ele, é um sonho que sempre teve ser presidente do time catalão, mas só o futuro decidirá qual será a decisão a ser tomada.

“Nas eleições que virão agora, tenho certeza que não, porque não posso. Ainda sou um jogador e quando você é um jogador não pode se candidatar, mas nunca se sabe o futuro. Eu sou muito, muito, muito culé, como você sabe”.

“Gostaria de poder ajudar o clube do coração da melhor maneira que sei. Isso passa por estar bem preparado para ajudar como presidente e vou ver se posso realmente contribuir com o clube. Se não achar, eu não tentaria. É algo que vou decidir no futuro, é uma ilusão que sempre tive, mas não sei se pode ser realizada no futuro”, completou.

Durante a entrevista, Piqué também comentou sobre a dolorosa saída de Luis Suárez, que irritou bastante o craque Lionel Messi. O defensor admitiu que sentiu muito não atuar mais com o uruguaio, que atualmente defende o Atlético de Madrid.

“Sim (senti muita dor pela saída), porque foi um companheiro de muitos anos no clube, compartilhamos muitas coisas. Ele é como nossos amigos de colégio. Nos encontrávamos todas as manhãs, viajávamos, estávamos em concentração. É como se fosse um amigo de colégio que estudamos por muito tempo”, disse Piqué, que comentou também sobre Messi.

“Tem que perguntar para o Messi (se ele vai ficar). Estamos esperando que ele fique, mas é uma decisão muito pessoal. Vamos ver. Enquanto usar a camisa do Barcelona, sempre vai ter esperança. Espero que de alguma forma ele possa ser seduzido para ficar mais anos”, finalizou.