<
>

Suárez diz que positivo para COVID-19 de palmeirense Viña foi 'golpe muito duro' no Uruguai

O churrascão feito pelos jogadores do Uruguai na última data Fifa, que resultou na contaminção por COVID-19 do atacante Luis Suárez e do volante Lucas Torreira, segue dando o que falar.

Em entrevista neste domingo, Suárez pediu desculpas pela reunião feita entre os atletas da Celeste, mas discordou que o assado tenha sido o grande vilão da história.

Na opinião do centroavante, o fato do lateral-esquerdo Matías Viña, do Palmeiras, ter se juntado à delegação provavelmente já contaminado pela COVID-19, já que o Verdão passa por surto da doença, é que foi o grande "golpe".

"Há muitas pessoas que estão nos criticando (pelo churrasco). De fato, cometemos um erro e pedimos perdão. Mas também não precisamos transformar essa situação em algo maior do que é. Temos que reconhecer a parte da culpa que é nossa. Seremos responsáveis pelo que somos culpados", afirmou.

"O contágio (de coronavírus) não aconteceu pelo que está na foto, isso é claro. O que ocorre é que tivemos o azar de ter alguém que já estava contaminado desde o jogo contra a Colômbia [o 1º da data Fifa]. O positivo de Matías Viña foi um golpe muito duro para todo o plantel", apontou.

"Baixamos um pouco a guarda. Temos que ser realistas. Infelizmente, é inevitável. Mas que isso sirva de lição para todos os jovens e as pessoas em situação de risco. Temos que seguir nos controlando, apesar de sermos testados todos os dias", complementou.

Em isolamento, Suárez foi desfalque na vitória por 1 a 0 do Atlético de Madrid sobre o Barcelona, no último sábado, e seguirá sem poder se juntar ao plantel ou ver sua família nos próximos dias.

"Como pai, estou me sentindo péssimo. Ainda não consegui ver minha família depois de passar tantos dias concentrado. Estou fechado em um apartamento. Meus filhos apareceram de surpresa, mas nos vimos através de uma janela, a 50 metros de distância. É uma situação muito difíci", finalizou.