<
>

Jean Mota fala sobre casos de covid no Santos e projeta duelo pela Libertadores

Neste sábado, o Santos enfrentou o Athletico-PR na Arena da Baixada com um time alternativo, pelo Campeonato Brasileiro, e saiu derrotado pelo placar de 1 a 0. O Peixe preservou os jogadores que foram diagnosticados com o novo coronavírus e voltaram poucos dias antes da partida.

Ao final do confronto, Jean Mota, um dos atletas que testou positivo, falou sobre o surto da doença no Alvinegro Praiano. O meia, que entrou no segundo tempo contra o Furacão, destacou a falta de ritmo após o longo período afastado dos treinamentos.

“Sem ritmo, normal, fiquei dez dias sem treinar, sem fazer nada. Era jogo difícil, temos um jogo muito importante, queríamos a vitória para subir na tabela, mas agora vamos pensar na Libertadores, será um dos jogos mais importantes do ano”, disse o camisa 41 ao Esporte Interativo.

“Tivemos só dois treinos, é muito difícil conseguir jogar os 90 minutos, agora tem a altitude. A gente sabe que o desgaste vai ser grande. A comissão pensou em poupar por isso. Sabíamos que os meninos fariam um bom jogo aqui. Infelizmente não conquistamos a vitória”, completou.

Ao todo, 11 jogadores do Santos contraíram o vírus nas últimas semanas: Alex, Alison, Diego Pituca, Jean Mota, João Paulo, Jobson, Lucas Veríssimo, Madson, Sandry, Luan Peres e Ângelo. Além deles, o técnico Cuca, os auxiliares Cuquinha e Eudes e o preparador físico Omar Feitosa também testaram positivo.

Agora, o Peixe tem compromisso pela ida das oitavas de final da Libertadores da América na próxima terça-feira, às 19h15 (de Brasília). O Alvinegro visita a LDU, na altitude de quase três mil metros de Quito, no Equador.