<
>

Rival do Flamengo na Libertadores, Racing não vence há um mês, tem 'batalhão' de lesionados e técnico pressionado

Após a eliminação na Copa do Brasil, o Flamengo terá outro mata-mata decisivo pela frente: as oitavas de final da Conmebol Libertadores. Se o clima na Gávea não ficou dos melhores após a queda para o São Paulo, que gerou protestos de torcedores, no rival pela competição internacional a situação é ainda pior.

Na próxima terça-feira (24), o Rubro-Negro enfrentará o Racing, em Avellaneda, com a missão de garantir um bom resultado para o jogo de volta, no Maracanã. A equipe de Rogério Ceni encontrará um rival pressionado pela sequência de tropeços dentro do campeonato local.

A última vitória da Academia aconteceu ainda no encerramento da fase de grupos, quando bateu o Estudiantes de Merida por 2 a 1 no El Cilindro, em 21 de outubro. Desde então, foram quatro derrotas da equipe comandada por Sebastián Beccacece, que foi superada duas vezes pelo Atlético Tucumán (a última nesta quinta-feira, por 2 a 0), assim como nos duelos frente Unión de Santa Fé e Arsenal de Sarandí.

Com os quatro tropeços seguidos pela Copa Liga Profissional da Argentina, o Racing é o lanterna do Grupo A, com nenhum ponto somado, com grandes chances de ser eliminado já na próxima rodada.

Mesmo com o jejum de um mês sem vitórias, Beccacece se disse 'tranquilo'. Segundo a imprensa argentina, o treinador tem sido pressionado pelos resultados. No discurso público, entanto, o treinador avalia que o planejamento traçado com a diretoria vem sendo seguido.

“Estou muito tranquilo onde estou, sei que estamos trabalhando bem, e volto a focar nos objetivos que definimos. Estamos todos voltados para isso, como falamos nas entrevistas ainda no início do ano: jogar uma final com o River Plate (a Supertaça Argentina, adiada), classificar para a Libertadores de 2021 e competir até onde nós pudermos nesta Libertadores. Estamos no caminho dos objetivos que estabelecemos com a diretoria”, disse Beccacece, destacando o duelo importante contra o Flamengo.

“Vencemos cinco jogos de seis da fase de grupos e sabemos que temos que conseguir a façanha de eliminar o último campeão. Temos motivos suficientes para ter ânimo para enfrentar o que está por vir”, concluiu.

Lesões são pesadelo para Beccacece

Não bastasse a dificuldade para se recuperar no Campeonato Argentino, Beccacece ainda precisará quebrar a cabeça para montar sua equipe para a próxima terça-feira. Retornando de lesão, Darío Cvitanich voltou a se machucar contra o Tucumán, e teve que deixar o campo ainda no primeiro tempo.

Sem saber se poderá contar com o atacante de 36 anos, o técnico ainda vê mais três nomes como dúvida após período afastados dos gramados entregues do DM: Soto, Nery Domínguez e Reniero.

Além das dúvidas, Beccacece tem os desfalques certos diante do Flamengo: Maurício Martínez e Marcelo Díaz, que passaram por cirurgias de joelho, estão fora da partida. Já Lorenzo Melgarejo e Augusto Solari, que se recuperam de problemas musculares, também devem seguir fora, ao menos no confronto em Avellaneda.