<
>

No Resenha ESPN, Rivaldo revela e explica com exclusividade por que planejou abandonar a seleção de Felipão na Copa de 2002

play
Rivaldo revela como quase abandonou seleção na Copa de 2002: 'Ia pegar um avião e ir para casa' (2:18)

'Se ele não me colocar de titular, eu vou embora'; explicou o ex-meia (2:18)

É de pleno conhecimento do fã do esporte a importância de Rivaldo para a seleção brasileira no penta, conquistado na Copa do Mundo de 2002. No entanto, essa história começou a ser escrita com 'desespero' do jogador, como o próprio revelou no Resenha ESPN, que vai ao ar nesta sexta-feira (20).

Isso porque antes da estreia da seleção, Rivaldo não fazia ideia se seria titular, pois Felipão segurou a informação até os dias finais de preparação para o primeiro jogo da fase de grupos, contra a Turquia. No programa, que será exibido às 22h (de Brasília), o então jogador do Barcelona admitiu que pensou em ir embora caso não estivesse no 11 inicial.

“Eu vou contar uma história pela primeira vez: estava chegando perto da Copa do Mundo, e eu não tinha certeza se eu seria titular, e o próprio Felipão não tinha essa certeza, e eu ficava triste porque o Felipão não falava para a imprensa quem seria o titular, estava entre eu e o Denílson. A imprensa falava muito bem do Denílson, ficava em cima do Felipão, e ele não dizia o time, eu ficava desesperado", revelou.

"Eu estava com muita vontade de ser campeão, de jogar... Aos 44 minutos do segundo tempo, o Felipão me confirmou que eu seria titular contra a Turquia. Só que antes disso, antes da confirmação, eu ligava para colegas meus e dizia: 'Se ele não me colocar como titular, eu vou pegar um avião e vou embora daqui. Vou embora, não estou acreditando que o Felipão não me confirma'. Só que no finalzinho, ele me colocou como titular contra a Turquia”

E parece que o treinador gaúcho acertou na escolha, já que Rivaldo foi um dos grandes nomes daquela edição, com cinco gols anotados - empatado com o alemão Miroslav Klose e atrás apenas do artilheiro Ronaldo, que terminou com oito.

Dois desses gols vieram já no mata-mata - um nas oitavas contra a Bélgica em jogo complicado, e outro na virada sobre a Inglaterra nas quartas.

Mesmo sem balançar as redes, Rivaldo foi um dos destaques na decisão contra a Alemanha, chutando para Oliver Kahn dar rebote para Ronaldo abrir o placar e dando corta-luz icônico no outro gol do Fenômeno, que decretou o título.