<
>

Chefão da Alemanha compara: 'Em 2014, Brasil desmoronou em campo, hoje aconteceu conosco'

Diretor da Federação Alemã de Futebol, Oliver Bierhoff, comparou a forma como seu país perdeu por 6 a 0 para a Espanha, pela EUFA Nations League, com a derrota de 7 a 1 que a Die Mannschaft impôs sobre o Brasil, na Copa do Mundo de 2014.

A única derrota dos alemães por cinco gols de diferença em uma partida oficial foi como Alemanha Ocidental, quando foi goleada por 8 a 3 pela Hungria ainda na fase de grupos da Copa do Mundo de 1954. A equipe germânica, no entanto, venceu os húngaros na final.

Apesar de sofrer a pior derrota da Alemanha em uma partida oficial e a maior desde os 6 a 0 para a Áustria em amistoso em 1931, Bierhoff apoiou Joachim Low.

“Em 2014, o Brasil desmoronou em campo, e isso aconteceu conosco hoje. Espero que seja um evento singular”, disse Bierhoff. "[Low] ainda tem nossa confiança e o jogo não muda nada”.

O apoio do dirigente será muito necessário para Joachim Low, que foi questionado em sua entrevista coletiva após a partida.

"Se preciso me preocupar com meu emprego? Isso é para os outros responderem”.

A Alemanha está em declínio desde que venceu a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, onde impôs uma derrota histórica aos donos da casa nas semifinais.

No entanto, apesar de ter caído na fase de grupos da Copa do Mundo de 2018 e ter vencido apenas três de seus últimos oito jogos internacionais, chegaram à liderança do Grupo 4 no jogo decisivo da Nations League, e um empate teria garantido a vaga alemã entre os semifinalistas.

Mas os três gols sofridos pela Alemanha em cada um dos tempos encobriram o fato de que poderia ser goleada com uma diferença ainda maior se a Espanha não tivesse desperdiçado outras chances claras de gol.

Falando na ARD TV, um desnorteado Low disse que 'nada deu certo'. Ele explicou que a seleção alemã não teve 'linguagem e tensão corporal', e não conseguiu ter o controle da partida.

“Queríamos ser corajosos”, disse. “Mas nada deu certo. Jogamos fora nosso conceito depois do 1 a 0. Saímos de posição, abrimos espaços. Não havia organização. Não havia comunicação. Todos os aspectos estavam ruins. Não havia nada de positivo. Foi um dia muito escuro”.

A Alemanha destaca desfalcada de Joshua Kimmich (Bayern de Munique) e Lukas Klostermann (RB Leipzig), além de Kai Havertz (Chelsea), que testou positivo para o coronavírus. Eles, no entanto, colocaram em campo muitos outros craques.

Após a derrota, as vozes na Alemanha exigindo o retorno de estrelas do Bayern como Jerome Boateng e Thomas Muller, além do zagueiro do Borussia Dortmund, Mats Hummels, ficaram ainda mais altas. Em março de 2019, o trio foi informado por Low que seu tempo com a seleção nacional havia terminado.

Quando confrontado sobre esta questão, Low se esquivou e disse que os jogadores que ele escolheu mereciam sua confiança.

A vitória encerrou uma sequência de três jogos sem derrotas para a Espanha, que não fica quatro jogos sem vencer desde o final dos anos 1980. No ano passado, a Espanha não conseguiu avançar para a Final Four depois de sofrer gols contra a Croácia nos minutos finais.

O meio-campista Serge Gnabry, que acertou a trave no final do jogo, disse: “Nada funcionou para nós esta noite. Não conseguimos controlá-los. Eles mereciam nos vencer como fizeram. A Espanha fez tudo certo, e nós tudo errado. Não sabemos em que nível estamos agora. Não é normal perder uma partida por tantos gols”.