<
>

Nations League: Craque da Polônia, Lewandowski tem, sozinho, mais gols do que os 13 atacantes convocados pela Itália

Os números de Robert Lewandowski pelo Bayern de Munique são assustadores: 259 gols e 46 assistências em sete temporadas, segundo dados do próprio clube. Mas o artilheiro também consegue surpreender quanto atua pela seleção da Polônia.

Neste domingo (15), o camisa 9 é a principal arma da Polônia contra a Itália, em confronto que vale o primeiro lugar do grupo A1 da Nations League. Uma aposta natural, se levado em conta que Lewa, sozinho, tem mais gols que os 13 atacantes convocados pela seleção rival juntos.

Enquanto os atacantes italianos somam 48 gols em suas carreiras internacionais, Lewandowski balançou as redes consideravelmente mais: são 63 gols anotados para a Polônia, o que faz dele o maior artilheiro da sua seleção na história.

Os líderes da atual Azzurra são: Ciro Immobile (10 gols), Andrea Belotti (9), Lorenzo Insigne (7) e Stephan El Shaarawy (6), enquanto todos os outros têm no máximo cinco. São eles: Domenico Berardi, Federico Bernardeschi, Francesco Caputo, Federico Chiesa, Vincenzo Grifo, Moise Kean, Kevin Lasagna, Riccardo Orsolini e Pietro Pellegri.

A conta fica um pouco mais próxima se contarmos as assistências, ainda que a vantagem permaneça do lado de Lewa. O polonês tem 85 participações em gols contra 81 dos italianos. Os números são do site Transfermarkt.

Tamanho faro de gol fez Lewandowski virar tema da entrevista coletiva de Roberto Mancini. O ex-atacante, hoje técnico da Azzurra, fez descarados elogios ao adversário e admitiu: gostaria de vê-lo no Campeonato Italiano.

"Lewandowski é um dos melhores centroavantes do mundo e não é de hoje. É uma pena que nunca pudemos vê-lo jogando a Serie A. Mas a Itália sempre teve alguns dos melhores defensores do mundo, e isso segue até hoje", disse Mancini.