<
>

Sem Neymar e Mbappé, PSG perde pênalti, leva virada do RB Leipzig em partida insana e fica em situação complicada na Champions

Gols anulados, pênalti perdido, joia de R$ 400 milhões errando muito, lei do ex, expulsões... Que jogo! O PSG visitou o RB Leipzig e foi derrotado por 2 a 1, de virada, na 3ª rodada da fase de grupos da Champions League.

Di María abriu o placar, Nkuku e Forsberg viraram e garantiram a vitória da equipe alemã. Neymar e Mbappé, grandes destaques do time de Paris e do futebol mundial, não jogaram por lesão.

Com o resultado, o RB Leipzig empata com o Manchester United no topo do grupo, ambos com 6 pontos. Já os franceses ficam em 3º, com 3 pontos assim como o Istanbul Basaksehir. O atual vice-campeão europeu venceu os turcos e perdeu dos dois grandes rivais na 'ida' da primeira fase, e sofre um risco real de não passar para o mata-mata.

Esses dois times repetem o duelo na próxima rodada, agora na casa do PSG, que entra em campo para um jogo 'de vida ou morte'.

PSG voando, Upamecano errando

Logo de cara, aos cinco minutos, gol dos visitantes. Na primeira chegada do PSG, Upamecano, zagueiro de 22 anos que vale R$ 400 milhões, falou feio, Kean ficou com a bola e deixou Di María na cara do goleiro para fazer 1 a 0.

Apesar de uma resposta imediata do Leipzig, com Haidara parando em grande defesa de Keylor Navas e Angeliño não passando de Florenzi, foi o PSG que ficou mais perto do 2º gol do que os mandantes do empate.

Grande nome do PSG, Di María logo teve outra chance, mas chutou sobre a marcação. Pouco depois, Kean girou na grande área, bateu, e Upamecano - de novo ele - cometeu pênalti, com a bola desviando em seu braço. Na cobrança, o argentino tentou fazer seu segundo na partida batendo no canto esquerdo de Gulácsi, mas o goleiro acertou o lado e defendeu.

Hoje sim... Hoje não

O time de Paris balançou as redes mais duas vezes ainda na primeira etapa, mas ambas comemorações foram frustradas.

Primeiro, Di María recebeu lançamento nas costas da zaga e bateu de cavadinha, fazendo um golaço, mas estava em impedimento.

No lance seguinte, Kean aproveitou rebote de Gulácsi em chute de Sarabia e correu para o abraço, mas também estava em posição irregular.

A resposta

O RB Leipzig cresceu nos últimos minutos antes do intervalo e foi cirúrgico.

Aos 40 minutos, Angeliño avançou pela esquerda e passou para Nkuku, que chegava pelo meio. De fora da área, o meia francês, que defendeu o PSG entre 2015 e 2019, bateu firme e venceu Keylor Navas.

Ainda antes das equipes irem ao vestiário, quase veio a virada. Forsberg passou para Olmo, que bateu no ângulo e quase fez um golaço, mas a bola foi para fora.

A virada

Na segunda etapa, o RB Leipzig manteve o ritmo dos últimos minutos antes da pausa e logo tomou as rédeas do placar.

Depois de uma linda jogada de Forsberg, que bateu para fora, e grande chegada do PSG com Kean, também por cima do gol, o placar foi alterado. Kimpembe botou a mão na bola dentro da área e deu um presente para o time alemão.

Angeliño cruzou da esquerda e o zagueiro do PSG se complicou. Após rápida ida ao VAR, o árbitro apontou para a marca de cal. Forberg bateu com perfeição no canto direito de Navas, que até acertou o lado, e fez 2 a 1.

A gota d'água

Com pouca inspiração, o PSG já sofria muito para criar chances na segunda etapa. Sem Neymar nem Mbappé, Di María ficou sobrecarregado e Kean isolado lá na frente.

Aos 23 minutos, Gueye chegou atrasado em dividida com Haidara, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso, dificultando ainda mais a situação do time.

O PSG não conseguiu o empate, apesar de pressionar - mesmo sem muita organização - até o fim. Inclusive, foi o Leipzig que ficou mais perto do 3º gol, abusando dos contra-ataques.

No último minuto de jogo, em uma dessas disparadas, Poulsen foi derrubado por trás em carrinho de Kimpembe e forçou o 2º amarelo do defensor, que consequentemente levou o vermelho.

Ficha técnica

RB Leipzig 2 x 1 PSG

GOLS: Ángel Di María (PSG); Christopher Nkunku e Emil Forsberg (RB Leipzig)

RB LEIPZIG: Gulácsi, Konaté, Upamecano e Orban; Mukiele (Henrichs), Sabitzer, Haidara (Adams) e Angeliño; Nkunku, Forsberg (Kluivert) e Dani Olmo (Poulsen); Técnico: Julian Nagelsmann

PSG: Navas, Florenzi (Rafinha), Danilo Pereira, Kimpempe e Kurzawa (Bakker); Marquinhos, Gueye e Herrera; Dí Maria, Kean e Sarabia (Kehrer); Técnico: Thomas Tuchel

Sem Neymar, Mbappé, Icardi, Verratti e Draxler, que sequer viajaram para a Alemanha, o PSG foi com força reduzida para o duelo 'de seis pontos'.

Do outro lado, o RB Leipzig se tornou o primeiro time alemão na história da Champions a montar uma escalação sem nenhum jogador nascido no país, já que Halstenberg, Hartmann e Klostermann desfalcaram a equipe. Curiosamente, a equipe ainda tinha mais jogadores franceses titulares do que seus rivais, da França.

Estatísticas

Com seu gol, Di María balançou as redes pela 14ª vez com o PSG na Champions, igualando o Neymar como 3º maior artilheiro da história do clube na competição

O PSG teve dois gola anulados em dois minutos

O RB Leipzig foi o primeiro clube alemão a não ter nenhum jogador nascido no país entre os titulares em um duelo de Champions


Próximos jogos

As duas equipes voltam a campo no fim de semana por seus respectivos campeonatos nacionais.

  • Sábado, 07/11, 17h*, Paris Saint-Germain x Rennes - Ligue 1

  • Sábado, 07/11, 11h30*, RB Leipzig x Freiburg - Bundesliga

*horário de Brasília