<
>

Vina celebra momento no Ceará, ressalta desejo de fazer história na Copa do Brasil e explica apelido

play
Vina exalta organização e projeto do Ceará e brinca com atrasos de salários em clubes grandes: 'Mês tem 90 dias' (2:41)

Em entrevista ao ESPN.com.br, meio-campista falou mais sobre como questão salarial mexe com os atletas e elogiou rivais do Nordeste pelo preparo na questão (2:41)

Campeão da Copa do Nordeste e artilheiro do Ceará na temporada, Vina é um dos nomes de maior destaque do futebol brasileiro na atualidade.

Com participação em 26 gols no ano, o meia-atacante é uma das esperanças da equipe alvinegra na disputa da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro.

Em entrevista ao ESPN.com.br, o atleta comemorou o momento vivido pelo clube cearense e ainda disse que vê a atual temporada como a melhor de sua carreira.

“Com certeza. Pela maturidade, por ser mais profissional. Quando você se dedica, ajusta o que está te faltando, as coisas acontecem naturalmente, como estão no Ceará. Eu devo muito ao grupo de jogadores à comissão técnica, que sempre estão ajudando um ao outro. Desde que cheguei aqui, falo que quero fazer história pelo Ceará e fico feliz que esteja sendo de uma maneira bonita”, disse.

Contratado pelo clube no início da temporada, Vinícius abriu mão de mais um ano de contrato no Atlético-MG pelo projeto no Ceará.

O atleta destacou a força que o time possui e a organização e planejamento do clube.

"A gente sabe que no futebol brasileiro muitos clubes não pagam em dia. O mês, muitas vezes, tem 90 dias. Mas o Ceará, mesmo com essa pandemia, teve alguns reajustes, mas está tudo certo, a diretoria sempre correndo atrás de cumprir seu papel. Isso influencia no dia-a-dia”, salientou.

"É algo que o Ceará está à frente de muitos times do Brasil. Eu vejo, hoje, times do Nordeste, como Ceará, nosso rival Fortaleza, o Bahia, que não devem praticamente nada a nenhum time do Brasil. A gente sabe que a logística prejudica. As viagens são longas e isso tem um desgaste”, afirmou.

play
1:58

Vina esclarece dúvida de fãs, explica origem do novo apelido e brinca: 'Está dando sorte'

Destaque do Ceará falou ao ESPN.com.br sobre nova fase da carreira e citou que novo 'nome' veio com amadurecimento maior como pessoa

Nesta quarta-feira, o Ceará enfrenta o Santos pela Copa do Brasil.

Depois da eliminação do rival Fortaleza, Vina disse que não vê fato influenciando o time, mas destacou desejo por fazer história.

“Esse lado de ir mais longe que o rival é mais do torcedor. Porque nosso grupo sabe o que quer. É fazer história. E uma coisa leva a outra, com esse pensamento de fazer história, a gente vai deixar para trás o nosso rival. E, mais importante, fazer história por esse clube que é grandioso e já mostrou isso várias vezes”, apontou.

Um destaque do time antes de Vinícius chegar nesta temporada era Thiago Galhardo. Os dois são, atualmente, os jogadores com mais participações em gols no Brasil, com vantagem para o Colorado.

O camisa 29, porém, não olha para essas comparações, apesar de vê-las como um motivador.

“Não conheço o Galhardo, mas acompanho hoje, fazendo gols. Até mesmo contra nós, ele fez dois gols. Mas eu não vejo dessa forma. O torcedor faz muito a comparação de Ceará de 2019 do Galhardo e o de 2020 com o Vina. Eu, Vinícius, quero fazer minha história pelo Ceará da melhor maneira possível, conquistando títulos”, analisou.

A boa fase do atleta, porém, tem rendido pedidos de alguns torcedores por uma chance na seleção brasileira.

Para ele, o sonho segue vivo, mas com a ressalva de não olharem tanto para times do Nordeste.

“É algo para se sonhar. Sou muito pé no chão com relação a isso. Mas eu faço meu trabalho. Vejo também, algo que questiono bastante, que os times daqui (Nordeste) não devem nada para ninguém, mas infelizmente ficam abaixo. Por mais que se faça um grande trabalho nas equipes daqui, você sempre vai estar abaixo das equipes que estão em outra localidade do país”, apontou.

No fim, o destaque do Ceará contou a origem de seu apelido ‘Vina’, algo que se tornou mais famoso durante a atual temporada.

“O Vina começou um pouco em 2019. Quando eu cheguei no Atlético-MG, tinha o Alessandro Vinícius, mas chamavam muito ele de Vinícius lá. E para não ficar todo mundo chamando um, e os dois olhando, falei que poderia ser chamado de Vina”, relatou.

“Desde pequeno eu levo esse apelido, mas era mais para conhecidos. Agora se externou para a torcida, para a mídia. Mas é legal ver um apelido de infância, que desde pequeno eu sou conhecido. Hoje, vejo quando estão comentando, narrando jogo é Vina para todo lado. E está dando sorte. Veio junto com amadurecimento, esse ano, em números, é o melhor da minha carreira”, finalizou.