<
>

'Não me pareceu penal, mas o VAR vai sempre contra o Barcelona', dispara Koeman, após derrota no clássico

Ronald Koeman, técnico do Barcelona, saiu de campo ferido com a derrota para o Real Madrid em El Clásico. E doeu mais ainda porque, na sua análise, o time jogou bem.

"Buscamos ter o controle do jogo com o Ansu como referência, buscando com Léo jogar nas costas dos defensores do Madrid, nas entrelinhas. Mas ...", disse o técnico, em entrevista coletiva.

Em sua opinião "os pênaltis foram decisivo". Para o treinador do Barça, o clássico foi decidido na penalidade concedida sobre Sergio Ramos, jogada com a qual Koeman discordou abertamente.

"Foi pênalti para você?", respondeu ele, a uma pergunta feita por um jornalista, expandindo suas críticas a partir daí.

"Para mim não foi pênalti. Já estamos na quinta rodada, e o VAR só entrou em jogos contra o Barça, nunca a favor. Nem o pênalti de Messi contra o Sevilla, nem em duas jogadas de expulsão contra o Getafe ... O VAR só atua contra a gente", disse, com firmeza, o treinador holandês.

No fim do jogo, Koeman foi falar com o árbitro e explicou: "Fui para lhe dizer que espero que um dia me possam explicar como funciona a questão do VAR", ironizou.

“Não falei com o Lenglet sobre a jogada, mas vi a imagem” disse o treinador.

"Inicialmente, Sergio Ramos comete falta. Depois, Lenglet agarra um pouco a sua camisa, mas nada exagerado, como para cair, como ele (Ramos) fez", resumiu, não se surpreendendo com a reação dos merengues com o ocorrido.

“É normal que eles falem e façam o possível para pedir um pênalti, para mim esse não é o problema. Sempre digo que o VAR pode ser muito bom, mas para todas as equipes”, resumiu.

Para além da jogada específica, Koeman repetiu que o Barcelona tinha jogado bem e argumentou as suas alterações, já com o resultado adverso.

"Optamos por 'renovar' o ataque com Dembélé e Trincão pelos lados, com Griezmann ao lado do Leo e à procura de um contra um, arriscando ", sem dar mais importância ao gol final de Modric.

"No final não me importa se perdemos por 2 a 1 ou 3 a 1", disse.