<
>

Santos se aproxima de resolução em proposta por Soteldo e pode se livrar de ação do Huachipato na Fifa

O presidente do Santos, Orlando Rollo, ficou aliviado com o “sim” do Conselho Deliberativo para a negociação com o Huachipato, da Venezuela, por Yeferson Soteldo.

A maioria dos conselheiros inscritos se manifestou contra a venda nas condições aprovadas pelo Conselho Fiscal. Na votação, porém, 52% liberou o Peixe para acertar com o Huachipato.

Rollo sabe que os termos, em um contexto normal, não seriam aceitáveis. Mas o Alvinegro vive situação financeira difícil e não via outra possibilidade.

“Conselheiros entenderam que o Santos tem que ser salvo aos poucos. Hamburgo, Huachipato e depois Atlético Nacional. Alguns conselheiros vieram com soluções inexequíveis. Adiantamentos, vendas de jogadores sem proposta. Se demorássemos, perderíamos o atleta de graça na próxima janela. Coube a nós passar de maneira cristalina aos conselheiros a implicação da situação de não conseguir liberar o transfer ban do Huachipato. E não é porque aprovamos que está resolvido. Amanhã voltamos à mesa de negociações, trazendo os pontos aprovados hoje pelo Conselho. As negociações são dinâmicas, mudam de minuto para outro. Pode ser que amanhã o Huachipato queira colocar uma cláusula a mais e volta do zero. Hoje tivemos aval de prosseguir a negociação nos itens de um pré-acordo. O mais importante foi que conseguimos manter o Soteldo. Santos detém os direitos federativos em 100%. Transferimos 50% dos econômicos. Vamos mantê-lo jogando talvez até por um tempo maior que possamos imaginar”, disse Orlando Rollo aos jornalistas presentes na reunião do Conselho Deliberativo na quarta-feira. O encontro invadiu a madrugada.

“O Huachipato deposita direto na conta do Soteldo e zeramos nossa dívida com o atleta. Nós não teríamos como pagar R$ 1 milhão a ele. Foi o exemplo que dei na reunião na analogia com a cobertura. Santos não pagou um real em dois anos, pagou nem condomínio. É como comprar uma cobertura e não pagar aluguel ou condomínio e entregar o apartamento depois de dois anos morando de casa. Tinha gente com ideia mirabolante de vender a cobertura com valor acima do mercado ainda. A grande maioria do Conselho entendeu a necessidade dessa negociação. Conselho salvou mais uma vez o Santos. A maior vitória foi manter o Soteldo”, completou o presidente.

O Santos “devolve” 50% dos direitos econômicos ao Huachipato. O Peixe combinou de pagar 3,55 milhões de dólares (R$ 20 milhões) em 2019 e não transferiu um real sequer. Soteldo, então fica na Vila Belmiro até os chilenos negociarem o meia-atacante.

Com o “sim” santista, o Huachipato retira da Fifa uma cobrança de 7,2 milhões de dólares (R$ 40 mi) diante do calote do clube brasileiro. A equipe ainda pagará 200 mil dólares (R$ 1,1 milhão) diretamente ao camisa 10 para quitar dívidas em luvas, premiação e direitos de imagem.

Por fim, o Santos ficará com 10% do valor que exceder uma venda de Soteldo pelo Huachipato por no mínimo 8 milhões de dólares (R$ 45 mi).

Novas cláusulas?

O Comitê de Gestão do Santos estuda duas cláusulas para o contrato com o Huachipato: vetar a ida a outro clube do Brasil e/ou preferência de compra de Soteldo. Atlético-MG e Palmeiras já demonstraram interesse.

“A gente estuda colocar essa cláusula no contrato, mas não é certo. Nem precisaríamos trazer ao Conselho por não ser prejudicial, seria benéfica. Descarto esse boato porque supostos clubes interessados sabem que Soteldo jogou mais de sete vezes no Campeonato Brasileiro. Soteldo não pode ir até outro clube até fevereiro. A partir de março, vamos tentar que o Huachipato coloque a preferência ao Santos. É difícil, mas temos que tentar. Não vamos desistir. Negociação é para apagar incêndio. Matamos um leão por dia, não está fácil. Se a gente não fechar essa negociação, perdemos atleta de graça, dívida continua e ainda podemos ser punidos. Temos que agir com razão e não com emoção”, explanou.

“Sim, se alguma coisa mudar temos que trazer assunto novamente para o Conselho deliberar. Espero que o Huachipato cumpra o que foi acordado e que a gente encaminhe para o fim desse problema”, concluiu.

Com a proposta aceita, Yeferson Soteldo continuaria no Santos por tempo indeterminado e pode ir para a Europa, que é o seu objetivo, em 2021. Ele recusou a oferta do Al Hilal, da Arábia Saudita, mesmo com salário milionário. A próxima janela internacional de transferências reabre entre dezembro e janeiro.