<
>

Wenger propõe que Eurocopa e Mundial tenham disputa a cada dois anos e pede 'fim' da Liga das Nações

play
Neymar encanta mais que Messi pela seleção? Zupak concorda e explica (1:41)

O jogo coletivo superior da seleção brasileira é crucial na análise de Zupak acerca da comparação (1:41)

Técnico do Arsenal por mais de duas décadas, Arsène Wenger largou os gramados para exercer uma nova função no esporte: a de chefe de Desenvolvimento Global de futebol da Fifa, o que consiste em supervisionar e conduzir o crescimento da modalidade, tanto no masculino quanto no feminino.

Algumas das suas propostas, o ex-treinador externou em entrevista ao jornal alemão Bild. E para ele, o fim da Liga das Nações da Uefa e a realização da Eurocopa e da Copa do Mundo a cada dois anos seriam viáveis, ainda mais em tempos de pandemia.

“Precisamos do mínimo de eventos possíveis. Portanto, acho que uma Copa do Mundo e uma Eurocopa a cada dois anos seria bom”, declarou Wenger, hoje com 70 anos, em entrevista ao jornal alemão Bild.

Para validar a sua proposta, o antigo comandante dos Gunners usou como exemplo a própria Champions League, que é disputada anualmente e continua sendo consumida cada vez mais pelos torcedores.

"Sempre digo às pessoas que a imagem não está ligada ao tempo que se espera pelo evento. Um exemplo que temos com a Champions League, que acontece todos os anos e os torcedores continuam a consumí-la”, prosseguiu.

Em relação ao fim da Liga das Nações, o ex-técnico francês afirmou que o formato e as regras da competição são difíceis de serem compreendidos, o que justificaria sua extinção.

"Precisamos eliminar a Liga das Nações da UEFA. Os formatos que são claros devem ser entendidos. Se você perguntar na rua em que consiste este novo torneio, poucas pessoas serão capazes de lhe explicar", concluiu.

Apesar da proposta de Wenger, vale lembrar que a Fifa já tem agendados os seus três próximos mundiais, ainda com um intervalo de quatro anos, no Catar (2022), América do Norte (2026) e 2030, ainda sem sede definida.