<
>

Diniz afirma que São Paulo conseguiu responder protestos da torcida com atuação contra o Inter

Neste sábado, o São Paulo empatou por 1 a 1 com o Internacional, no Beira-Rio, buscando o resultado depois de sair atrás no placar. O jogo aconteceu um dia após o elenco ser recebido com protestos por torcedores presentes no embarque da delegação no Aeroporto de Viracopos, em Campinas.

Na visão de Fernando Diniz, os jogadores conseguiram dar a volta por cima em campo após as cobranças da sexta-feira. O treinador também diz acreditar que a pressão não se deve à derrota para a LDU, no Equador, na última terça-feira.

“De maneira prática, a gente teve de fato esse tipo de situação ontem e a equipe respondeu com o que fez hoje. O time conseguiu responder bem ao tipo de pressão. É normal, principalmente no Brasil, esse tipo de questionamento. Eu não acho que a pressão foi basicamente por conta do jogo contra a LDU. Acho que o que pressiona o São Paulo neste momento são as derrotas para o Binacional na altitude e, principalmente, a derrota para o Mirassol”, disse o técnico.

Diniz deu razão aos protestos dos são-paulinos e apontou o caminho para as cobranças chegarem ao fim.

“São justas as pressões que acontecem, o torcedor tem todo o direito de ficar insatisfeito. Isso só vai acabar quando a gente continuar jogando bem, como fizemos hoje, e ganhar os jogos”, finalizou.

Com o empate neste sábado, o São Paulo chegou aos 19 pontos, na terceira colocação do Campeonato Brasileiro. Na quarta-feira que vem, o Tricolor voltará a atuar pela Libertadores, contra o River Plate, em Buenos Aires, às 21h30. Em situação delicada na competição, os comandados de Diniz precisam vencer a qualquer custo na Argentina.