<
>

Palmeiras fala em paralisar Brasileirão, e CBF tenta derrubar liminar do Flamengo

A novela envolvendo o Palmeiras x Flamengo deste domingo (27), pelo Campeonato Brasileiro, segue. Depois de o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da primeira região no Rio de Janeiro acatar o pedido de suspensão do jogo feito pelo Sindicato dos Empregados em Clubes do Rio de Janeiro (Sindiclubes-RJ), a agremiação alviverde não se mostrou contente com a decisão.

E o presidente do clube paulista, Maurício Galiotte, cogita até pedir a paralisação da disputa nacional caso o jogo contra o rival carioca de fato não aconteça.

A própria Confederação Brasileira de Futebol (CBF) tenta derrubar a liminar na Justiça e quer a realização da partida, segundo apurou o ESPN.com.br. O argumento da entidade é que o Flamengo teria dscumprido os protocolos. A foto dos atletas do clube sem máscara no avião, que gerou até a demissão de um profissional do departamente de Comunicação, está sendo usada como prova.

Enquanto isso, de acordo com fontes da reportagem, o Palmeiras segue sua programação normal de concentração, contando com a realização da partida neste domingo, no Allianz Parque.

O clube rubro-negro está com um surto de COVID-19 entre elenco, comissão técnica e dirigentes e tentou o adiamento do jogo tanto na CBF quanto no Superior Tribunal de Justiça Desportiva ( STJD), mas ambas as entidades rejeitaram o pedido.

Após a confirmação de mais três jogadores infectados na noite da última sexta-feira (subindo para 19 o número de atletas com coronavírus), o Flamengo entrou novamente com pedido de reconsideração na justiça desportiva.

Em sua decisão, o juiz Filipe Olmo afirmou: "Apesar dos protocolos estabelecidos pela CBF e pelo 2º réu, é público e notório, pelos documentos e notícias juntadas aos autos, que há um surto focalizado entre os empregados e jogadores do Clube de Regatas do Flamengo."

"Em razão dos eventuais resultados falso-negativos e da possibilidade de haver infectados dentro do período de incubação, não há garantia de que os empregados saudáveis não terão contato com outros empregados que possam estar infectados."

"Manter a partida implicaria risco demasiado para a saúde de jogadores das duas equipes, comissão técnica e demais empregados. Além disso, há risco de contaminação dos familiares, quando do retorno para casa."

"Portanto, por tudo acima exposto, a fim de garantir a integridade física e a manutenção da saúde dos empregados do 2º réu (CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO), concedo a tutela de urgência, em caráter liminar, e determino que a suspensão do jogo designado para o dia 27/09/2020, entre o Clube de Regatas do Flamengo e a Sociedade Esportiva Palmeiras, em São Paulo", explicou o juiz.

Ele ainda completa dizendo que "em caso de descumprimento da medida, ou seja, caso os réus insistam na realização da partida, fica estipulada multa de R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais), a ser revertida para instituições de saúde no combate à COVID-19."