<
>

Athletico-PR: Erick diz que luta de Walter inspirou o grupo e lamenta Arena sem público na Libertadores

O Athletico-PR, líder do grupo C da Conmebol Libertadores, um dos mais embolados da disputa, volta a campo nesta quarta-feira (23) para um confronto direto contra o Colo-Colo-CHI, segundo colocado também com 6 pontos somados, e atuará pela primeira vez como mandante desde a retomada da disputa. A partida terá transmissão ao vivo e exclusiva do FOX Sports, a partir das 19h (horário de Brasília).

Titular absoluto do Furacão, o meio-campista Erick falou com exclusividade ao ESPN.com.br e projetou o confronto contra os chilenos, que também conquistaram importante vitória de virada por 2 a 1 sobre o Peñarol na última rodada da fase de grupos. Este será o segundo embate entre as duas equipes nesta edição, mas desta vez a expectativa é que o resultado seja positivo para a equipe brasileira, que perdeu em Santiago por 1 a 0 e agora tem a chance de, quem sabe, disparar na liderança de sua chave.

Diferentemente do primeiro confronto, quando o Athletico-PR ainda buscava um entrosamento maior entre os seus jogadores, uma vez que a temporada havia começado há poucos meses, Erick acredita que muita coisa mudou e que, no lado do Furacão, a postura será aguerrida, com a equipe buscando o ataque a todo instante.

"Muita coisa mudou. Foi o último jogo antes da paralisação do futebol por conta da pandemia. Creio que nossa equipe ainda buscava o entrosamento ideal, que hoje já encontramos. Além da chegada e saída de jogadores, assim como da comissão técnica. Será um jogo ainda mais competitivo e atrativo para o torcedor. Vamos ter uma postura aguerrida e ofensiva para buscar a vitória a todo momento", disse o meio-campista.

Se no seu primeiro compromisso pela Libertadores, contra o Peñarol, o Athletico contou com a presença da sua apaixonada torcida na Arena da Baixada, já que a partida aconteceu antes do início da pandemia, agora o cenário é completamente diferente e o jogo não terá público. E para Erick, esse será um dos principais desafios do Furacão, que ainda tentará conter uma possível catimba dos adversários.

"É muito difícil jogar sem o nosso torcedor, por toda a atmosfera positiva para nós, negativa para o adversário, que eles criam. Mas é a nova realidade neste momento, e todas as equipes estão passando por isso como mandantes. Vamos fazer o nosso jogo, sem medo de catimba. Nossa postura tem que ser de buscar a vitória até o fim e não dar brecha para erros", prosseguiu.

E uma das inspirações para sair com mais uma vitória na competição continental virá de um dos personagens que ajudaram o Furacão a conquistar o importante triunfo de virada na altitude boliviana, na terceira rodada, contra o Jorge Wilstermann: o atacante Walter, autor do terceiro gol da equipe paranaense. Foi o que também garantiu Erick.

"O Walter é um jogador que dispensa comentários. Todos sabem da qualidade dele, seja na parte técnica ou tática. E a dedicação dele inspirou o grupo. Ele se entregou para estar em campo o mais rápido possível. Foram quase dois meses de muita entrega. Então aquele lance decisivo na Bolívia não foi por acaso. Ele tem muito para nos ajudar nesta caminhada", declarou Erick.

Por último, o meio-campista de 22 anos ainda comentou sobre a goleada por 5 a 0 que o Flamengo sofreu para o Independiente Del Valle, na última rodada da Libertadores, e classificou o resultado como atípico para o Rubro-Negro. Erick também deixou que o título da competição ainda é possível para os cariocas e também para as demais equipes brasileiras envolvidas na disputa, incluindo o próprio Athletico.

"Vejo como um resultado atípico. O Flamengo tem uma grande equipe, é o atual campeão da Libertadores, e merece o respeito de todos. Não só o Flamengo, mas todos os clubes brasileiros que estão nesta edição da competição têm condições de conquistar o título. São elencos fortes. O Athletico teve um momento de resultados não favoráveis, mas tem um grupo coeso e unido em condições de lutar por essa conquista. Vamos um passo de cada vez tentando chegar o mais longe possível", finalizou.