<
>

Associação de clubes europeus nega restrição a viagens de jogadores à América do Sul para as eliminatórias

Nesta terça-feira, uma reunião entre os membros da Conmebol e o presidente da Fifa, Gianni Infantino, ratificou o início das eliminatórias sul-americanas à Copa do Mundo de 2022 para o próximo mês de outubro.

Um dos assuntos discutidos foi a garantia por parte da entidade máxima do futebol da presença dos jogadores que atuam fora do continente na rodada dupla dos dias 8 e 13 de outubro por causa das preocupações com relação à pandemia de COVID-19.

Os países da América do Sul possuem alto número de contágios (Argentina, Brasil, Colômbia e Peru estão entre os 15 maiores afetados por dia no mundo), e haveria o temor de times da Europa em liberar atletas para as seleções.

O ESPN.com.br conversou com um membro da Associação de Clubes Europeus (ECA), que pediu para não ser identificado.

"É claro que continuamos preocupados com os jogadores que viajam para a América do Sul em outubro, visto que as taxas de infecção continuam altas em grande parte do continente", afirmou o representante.

Ele recordou que a Fifa permitiu que os clubes não liberassem jogadores "se existir uma quarentena mandatória no país do clube de origem ou no país onde o jogador convocado atuará" ou então se existir "restrições de viagem entre dois locais e não haver exceções específicos para os jogadores".

O membro da ECA, porém, garante que a organização que representa os principais times do Velho Continente "não aconselhou os membros a não liberarem os jogadores que forem convocados".

Ele disse esperar que as federações nacionais "atuem com responsabilidade e alinhada com os protocolos" sanitários.

"Esperamos que todas as partes interessadas, incluindo as federações, sigam os protocolos à medida que continuamos a colocar a saúde e a segurança dos jogadores no topo de nossas prioridades", esclareceu.

A Libertadores retorna nesta terça-feira e será o primeiro teste das regras sanitárias impostas pela Conmebol. Por enquanto, não há qualquer pedido de mudança de locais de partidas das eliminatórias - no torneio de clubes, o peruano Binacional não poderá jogar em casa, na altitude de Juliaca, e vai mandar seus duelos em Lima.

Fifa e membros da confederação sul-americana voltarão a se reunir na próxima quinta por videoconferência.