<
>

Atlético-MG de Sampaoli não segue 'fórmula' do Flamengo de Jesus: 19 titulares em sete jogos

O Flamengo foi campeão brasileiro em 2019 com Jorge Jesus mexendo pouco no time-base. Os 11 titulares estavam claros na cabeça do treinador, e as trocas aconteciam normalmente por necessidade. Com Jorge Sampaoli, no Atlético-MG, em 2020, a aposta é outra: rotatividade.

O portal “Superesportes” levantou os jogadores que foram utilizados como titulares desde a estreia do técnico argentino. Em apenas sete partidas, já são 19 jogadores diferentes escolhidos para iniciar. Somente dois, o goleiro Rafael e o meia Nathan, começaram todas elas.

No Brasileirão, em que o Atlético arrancou bem, com duas vitórias, o exemplo também fica claro. Allan e Savarino, por exemplo, sempre haviam sido titulares com Sampaoli, mas começaram a vitória sobre o Corinthians, nesta quarta-feira, como opções no banco.

No domingo, quando bateu o Flamengo no Maracanã, o Atlético entrou em campo com Rafael, Gabriel, Igor Rabello, Junior Alonso, Guga, Allan, Alan Franco, Nathan, Guilherme Arana, Savarino e Marquinhos. Em relação à vitória sobre o Corinthians, quatro mudanças.

No Mineirão, Sampaoli escalou o time com Rafael, Guga, Réver, Junior Alonso, Guilherme Arana, Jair, Alan Franco, Nathan, Marquinhos, Keno e Marrony. Com essa formação, o time saiu perdendo por 2 a 0, mas buscou a virada no segundo tempo, principalmente, após as entradas de Savarino e Hyoran – autor de dois gols e titular apenas três vezes com o técnico.

O problema para Sampaoli é que, para encarar o Ceará, no domingo, Nathan não deve estar a disposição. Pouco depois de marcar o gol da virada sobre o Corinthians, o meia sentiu a coxa e precisou ser substituído. O técnico, aliás, reconheceu que a ideia já era incluí-lo na “rotação”.

“Nesta realidade, em que temos que ser extremamente ativos no ataque, necessitamos de muita rotação de jogadores, porque não dá para manter este ritmo com os mesmos 10 (jogadores de linha)”, disse o técnico, reconhecendo não ter substituto para Nathan.

“Hoje (quarta), Nathan não pôde participar da rotatividade, porque não havia outra alternativa e acabou se machucando. Se não tivermos trocas constantes, seguramente vamos pagar caro por esta intensidade”, completou Sampaoli, que segue pedindo reforços à direção do Atlético.

Entre as trocas constantes entre os titulares, porém, nem todas foram por opção do argentino. Arana, por exemplo, na única partida que não iniciou, estava suspenso; Guga esteve envolvido em negociação com o Spartak Moscou-RUS; e Alonso chegou ao clube depois.

Já entre os reforços que Sampaoli recebeu desde sua chegada, três ainda não estão no grupo que já teve chance como titular: o lateral Mariano, o zagueiro Bueno e o meio-campista Léo Sena. Ricardo Oliveira e Franco Di Santos, por outro lado, tiveram, mas já deixaram o clube.