<
>

Cruzeiro: investigação da Polícia Civil indicia Wagner Pires de Sá, Itair Machado e Sérgio Nonato

A Polícia Civil concluiu na segunda-feira a investigação sobre possíveis crimes na gestão de Wagner Pires de Sá no Cruzeiro.

O inquérito será encaminhado ao Ministério Público de Minas Gerais, que ficará responsável por denunciar Wagner Pires de Sá, ex-presidente do Cruzeiro, Itair Machado, ex-vice, e o ex-diretor Sérgio Nonato. Os três foram indiciados por irregularidades na administração do clube de 2018 a 2019, ano do rebaixamento celeste.

De acordo com nota da Polícia Civil, o trio e mais um quarteto de empresários foram indiciados pelos crimes de apropriação indébita, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

"A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) confirma a conclusão do Inquérito que investigou irregularidades cometidas por administradores do Cruzeiro Esporte Clube. O procedimento foi encaminhado ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).Três ex-dirigentes do clube e quatro empresários - três atuavam no futebol e um no ramo de Equipamento de Proteção Individual (EPI) - foram indiciados por apropriação indébita, falsidade ideológica, associação criminosa e lavagem de dinheiro", diz a autoridade em nota.

Segundo o site globoesporte.com, os agentes do futebol indiciados são João Sérgio, representante do goleiro Fábio; Carlinhos Sabiá e Wagner Cruz. O empresário do segmento de EPI é Cristiano Richard dos Santos Machado.