<
>

Último campeão com o São Paulo, Ney Franco reencontra clube sem conseguir explicar jejum e defende Fernando Diniz

Último técnico a conseguir um título pelo São Paulo – a Copa Sul-Americana de 2012 -, Ney Franco estreará pelo Goiás no Campeonato Brasileiro justamente contra a equipe tricolor, neste domingo, às 16h (de Brasília).

“Sempre sou questionado sobre isso e acho difícil explicar a falta de títulos do São Paulo porque é um clube que tem toda estrutura. Os jogadores são altamente qualificados. Depois que eu saí passaram vários treinadores renomados, como Muricy, Autuori, Bauza, Osorio... É difícil explicar porque a diretoria dá condições aos profissionais e a estrutura é fantástica. Não tem um fator”, disse, ao ESPN.com.br.

Apesar das críticas recentes da torcida do São Paulo, Ney Franco acredita que o ex-time poderá ter um bom desempenho na temporada.

“Acho que nesse ano está no caminho certo, e a manutenção do Diniz para o Campeonato Brasileiro é importantíssima para a construção e desenvolvimento de um trabalho. O São Paulo tem tudo para fazer um bom Brasileiro”.

Mesmo tendo uma história no clube do Morumbi, o treinador acredita que a partida não tem um gosto especial.

“O Campeonato Brasileiro não tem jogo fácil. Jogar em casa ou fora esse ano será mais equilibrado, principalmente enquanto não tiver torcida no estádio. Estrear contra o São Paulo é a mesma coisa do que estrear contra qualquer outra grande equipe da Série A. É uma oportunidade para mostrar o trabalho que vem sendo feito no Goiás”, analisou.

“O São Paulo, mesmo com a decepção do Campeonato Paulista, é uma equipe que vai entrar com possibilidade de título. Então, já pegamos um time muito forte com jogadores como Pato, Hernanes, Daniel Alves, Tchê Tchê e o Volpi, um baita goleiro. Vai ser difícil, mas temos a expectativa de jogar bem e começar com uma vitória”, projetou.

A meta do Goiás é melhorar a 10ª colocação do Brasileiro conquistada em 2019.

“Até as últimas rodadas do ano passado brigamos para ficar entre os sete primeiros colocados e pegar uma vaga na pré-Libertadores. Este ano a gente aumentou o sarrafo. Queremos fazer uma campanha melhor do que a do ano passado e terminar na primeira página da tabela e surpreender”, garantiu.

A equipe esmeraldina terá que superar a falta de ritmo de jogos, pois não atua em partidas oficiais desde a interrupção do Campeonato Goiano, em 15 de março.

“Entendemos que é muito difícil e concorremos com equipes com investimento muito alto, mas ano passado demos uma amostra que, com o trabalho e grupo unido, podemos surpreender. Éramos a equipe com menor orçamento e ficamos à frente de muitos times com mais investimento”.