<
>

Daniel Alves 'cutuca' marketing e bastidores do São Paulo: 'Sensação é de que nem todo mundo quer a mesma coisa'

play
Daniel Alves afirma que não joga futebol por dinheiro e diz que fechou com São Paulo para realizar sonho: 'Apertei o f***' (2:47)

'Eu sou o jogador que mais deu resultado na história do futebol e que menos ganhou dinheiro; as minhas decisões são em função de sentimento', explicou o camisa 10 tricolor (2:47)

Daniel Alves foi contratado para mudar o São Paulo de patamar. Tanto dentro, quanto fora de campo. Nesta terça-feira, coube a ele, porém, falar sobre mais uma decepção para o clube, quase uma semana depois da queda no Campeonato Paulista para o Mirassol no Morumbi.

Entre as respostas, em entrevista concedida online aos jornalistas, o agora meio-campista deixou críticas ao departamento de marketing e também aos bastidores do clube tricolor. Segundo ele, nem toda a culpa é de jogadores e treinador, “mais expostos”, em sua visão.

Sobre o marketing, Daniel Alves foi perguntado sobre as parcerias que deveriam ajudar a pagar o alto salário do jogador. “Muito difícil falar de algo que foge das minhas mãos. Não controlo o marketing do São Paulo. Se controlasse, algumas tomadas de decisões seriam diferentes, porque tenho outra ideia de como eu faria, no meu caso e num clube desse tamanho.”

“Mas é aquilo: tem de controlar o que está nas suas mãos, e isso foge. Minha intenção é melhorar o São Paulo, mas alçar a voz do futebol brasileiro. Meu compromisso com futebol é maior do que ser um jogador. Ninguém faz nada com as mãos atadas. O clube por estar em evidência, crescimento e evolução, as pessoas à frente precisam ter poder de decisão.”

Nos bastidores, o camisa 10 tricolor falou também da atuação de conselheiros e disse ter “a sensação de quem nem todo mundo quer a mesma coisa” dentro do clube.

play
4:33

Daniel Alves: 'No São Paulo, a sensação é de que nem todo mundo quer a mesma coisa'

Entre as respostas, em entrevista concedida online aos jornalistas, o agora meio-campista deixou críticas ao departamento de marketing e também aos bastidores do clube tricolor

“Tudo tem que passar pelo Conselho. No futebol, muita gente passa pela tomada de decisão, levadas a Conselho e começa a expor algumas coisas. Isso começa a gerar uma certa dificuldade. O São Paulo não é apenas os jogadores que estão sempre expostos, é um todo.”

“Se esse todo não estiver conectado, não vai fluir. Nós precisamos controlar a nossa área, nosso trabalho, dia a dia e nosso suor. Se conseguirmos isso, até os ruins nos clubes vão passar a ser bons. No São Paulo, a sensação é de que nem todo mundo quer a mesma coisa, então vai expor quem está à frente: treinador, presidente, diretor esportivo, jogador, eu, que vim com expectativa alta. Sempre nós ficamos expostos, mas temos liberdade de convencer todo um clube que esse é o caminho geral, de todos lutarem pela mesma coisa”, completou.

Veja outros trechos da entrevista de Daniel Alves:

Expectativas

"É uma pergunta de dupla mão. Se eu cumpro expectativa do São Paulo. O São Paulo cumpre expectativa, porque baixei muito ela. Mas tem instalações que poucos clubes no Brasil e fora têm. Tem ideia de trabalho e de conceitos que me atende. Mas não posso vir de fora passando nos clubes que passei achando que seria isso. Óbvio que não, seria estúpido.

play
2:18

Daniel Alves dá boas vindas a Torrent, deseja êxito, e descarta aposentadoria no Bahia: 'Só jogo no São Paulo'

'Se falarem que vou para outro clube; é mentira'; completou

São Paulo não passa por bons momentos financeiros, assim como outros clubes. Mas são internas. Brasil passa por momento difícil financeiramente. Para mim me parece uma falta de respeito com sociedade, mais do que comigo, e acho que trabalhei para conquistar. Se isso gera inveja ou desconforto, sinto muito por elas. Jornalistas devem falar de futebol e resultados. Vejo cada vez menos falar disso".

No Brasil, só São Paulo

"Por isso vim ao São Paulo. Se você me ver no Brasil com outra camisa pode me chamar de mentiroso, assim como se falarem que vou jogar em outro clube no Brasil vou chamar de mentiroso também.”

Fernando Diniz

“Não só merece defesa, como ataque e meio de campo. Não é por ter relacionamento especial, porque gostamos das mesmas coisas e temos mesmos valores pessoais. Acreditamos na verdade do que fazemos e entregamos. Infelizmente passamos por situações. Falei que precisamos de parar de deixar caminho meio andado pra outros desfrutarem e o caminho todo é esse processo aqui do São Paulo. Nossas verdades combinam.”

play
5:47

Daniel Alves se manifesta: inveja, responsabilidade, pandemônios e muito trabalho

'Eu valho o que eu trabalhei; se isso gera inveja, sinto muito', afirmou o camisa 10 do São Paulo

play
5:47

Daniel Alves se manifesta: inveja, responsabilidade, pandemônios e muito trabalho

'Eu valho o que eu trabalhei; se isso gera inveja, sinto muito', afirmou o camisa 10 do São Paulo

Só há um caminho

“Costumo ser uma pessoa que foco no que está no meu alcance para chegar ao objetivo, de criar ambiente de conscientização e de que só tem um caminho para mudar história de sofrimentos, digamos, com experiências desagradáveis. Tento criar esse pensamento, essa direção, porque pra mim é a única maneira de mudar a história recente do São Paulo. Não pode deixar o imediatismo afetar aqui dentro.”

play
1:30

Daniel Alves admite frustração por derrota para o Mirassol, mas diz que 7 a 1 foi mais doloroso

Nesta terça-feira, coube ao camisa 10 falar sobre mais uma decepção para o clube, quase uma semana depois da queda no Campeonato Paulista para o Mirassol no Morumbi

'Caos afeta trabalho'

"O tentar gerar caos afeta o trabalho. Parece que praticamos um esporte sem profissionalismo. Algumas coisas não tem sentido. Há uma semana eu era destaque e o time bem. E um resultado mudou tudo. Mas mudou pra fora. Na vida você sofre algumas situações, e o São Paulo sofre há alguns anos. Não é responsabilidade nossa, e sim o momento atual. Mas não conto pra trás, conto quando cheguei e objetivos que vamos lograr.”

play
1:31

Daniel Alves explica eliminações para zebras, cita Real Madrid e Barcelona e nega ser perdedor: 'Sou o maior da história'

'O maior vencedor da história do futebol hoje sou eu; o meu discurso é chegar no SP, trazer a minha grandeza e tentar convencer todo mundo que nós vamos lutar por todos os títulos', disse o camisa 10